Servidores e pacientes vivem tarde de pânico no Walfredo Gurgel

Do SINDSAÚDE
"Socorro, socorro" gritavam os acompanhantes pacientes e servidores do Hospital Walfredo Gurgel no fim da tarde deste sábado (28), quando um apenado - que estava internado no 4° andar da unidade - tentou fugir, agredindo o agente penal que o mantinha sob custódia, enquanto o mesmo o conduzia até o banheiro. Os dois entraram em luta corporal na frente de todos os internos do hospital, e o agente chegou a ter a sua arma arremessada pela janela. Ambos se feriram e foram atendidos pela equipe médica do local.
Mas infelizmente essa situação é uma tragédia anunciada, a falta de segurança é uma realidade que os trabalhadores e pacientes do maior hospital do Rio Grande do Norte convive todos os dias. Hoje não foi diferente, o pânico e o terror tomou conta do ambiente, não bastava a enfermidade e o risco de estar na unidade devido a Covid-19, as pessoas que frequentam o hospital também correm o risco de serem agredidas, feitas de refém e até mesmo mortas pelo descaso do Estado, que não cumpre o dever de destinar no mínimo dois agentes penais por escala, para acompanhar e manter a segurança de todos no hospital.

Os servidores e pacientes do Walfredo estão com o psicológico abalado, "não basta o risco que estamos expostos nesse ambiente insalubre, também temos que conviver com o horror de uma situação como essa no nosso próprio ambiente de trabalho", afirma uma servidora que não quis se indentificar.
Continua depois da publicidade
De acordo com informações dos servidores que trabalham no hospital, o 4° andar tem uma enfermaria destinada aos presos da justiça que deveria ser resguardada por no mínimo 2 agentes penais por escala, mas isso quase nunca acontece. " Isso é um absurdo, nunca mandam dois agentes, convivemos com o medo de algo assim acontecer há muito tempo, se ele agrediu uma pessoa treinada, imagina o que poderia ter acontecido a qualquer um de nós", lamenta a técnica de enfermagem da unidade e diretora do Sindsaúde, Socorro Silva.

O Sindsaúde RN repudia veementemente o descaso do Governo Fátima Bezerra (PT) nesse caso, e cobra o cumprimento do dever de disponibilizar no mínimo 2 agentes penais por escala para manter a custódia dos apenados que estão em tratamento no hospital. A insegurança dos profissionais da saúde no estado vai além de contrair qualquer doença, infecção ou vírus, todos também correm risco a sua integridade física pela falta de segurança que acomete todas as unidades de saúde do RN. 

GOVERNADORA, QUEREMOS SEGURANÇA PARA TRABALHAR!

Postar um comentário

0 Comentários