II Ursap recomenda vacina contra sarampo e informa prioridades

Técnicos do Programa Regional de Imunizações da II Unidade Regional de Saúde Pública (II Ursap), estiveram reunidos quarta-feira (2), de 9h às 12h, no auditório deputado Leônidas Ferreira para discutirem estratégias para a operacionalização da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. O evento foi direcionado aos coordenadores municipais do Programa de Imunizações e vacinadores dos 26 municípios da jurisdição. Sessenta pessoas participaram da reunião. Presentes ao evento a gerente da II Ursap, Emiliana Bezerra Cavalcante, os técnicos do Programa de Imunização da II Ursap, Jorge Motta, Lucinete Almeida, Odete Oliveira e Andreia Brito Aires e o coordenador do Programa de Imunização do Município de Mossoró, Etevaldo de Lima. 

Esta Campanha acontecerá em duas etapas considerando os seguintes períodos e grupos alvo de vacinação: No período de 07/10 a 25/10, será realizada a vacinação de todas as crianças não vacinadas de seis meses a menores de cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias). O dia D, de mobilização nacional, será 19/10. No período de 18/11 a 30/11, será realizada a vacinação de adultos jovens não vacinados na faixa etária de 20 a 29 anos de idade. O dia D, de mobilização nacional, será 30/11. 

A meta mínima a ser alcançada na campanha corresponde a 95% de cobertura vacinal, de forma homogênea, do público-alvo a ser vacinado. Nesta campanha de vacinação será utilizada a vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) de diferentes laboratórios produtores, para a vacinação das crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade. Para os adultos jovens de 20 a 29 anos de idade serão utilizadas as vacinas tríplice viral e dupla viral (sarampo e rubéola). 

O SARAMPO 

O sarampo é uma doença viral aguda similar a uma infecção do trato respiratório superior. É grave, principalmente em crianças menores de cinco anos, desnutridos e imunodeprimidos. A transmissão do vírus ocorre a partir de gotículas de pessoas doentes ao espirrar, tossir, falar ou respirar próximo de pessoas sem imunidade contra o vírus sarampo. 

Em 2016, o Brasil recebeu o certificado de eliminação da circulação do vírus pela Organização Mundial de Saúde – OMS. Em 2019, país perdeu o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo. 

SITUAÇÃO DO SARAMPO NO RIO GRANDE DO NORTE 

Em 2019, até a Semana Epidemiológica 37 foram notificados 50 casos, dos quais 13 já foram descartados após investigação; 04 casos confirmados após análise do quadro clínico, vínculo epidemiológico e resultado dos exames laboratoriais; e 33 casos permanecem em investigação. 

“A priorização do grupo na primeira etapa (será realizada a vacinação de todas as crianças não vacinadas de seis meses a menores de cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias) deve-se à elevada incidência da doença nesta faixa etária, nos surtos registrados em 2019. As crianças menores de 5 anos de idade apresentam maior risco de desenvolver complicações, tais como cegueira, encefalite, diarreia grave, infecções no ouvido, pneumonias e óbitos pelo sarampo”, disse a técnica Lucinete Almeida. 

“Prefeitos e gestores de saúde precisam entender que a meta do Ministério da Saúde, neste momento, é diminuir as complicações e os óbitos em crianças menores de cinco anos de idade porque elas são mais suscetíveis às complicações e óbitos por causa da doença” disse o técnico do Programa Regional de Imunizações da II Unidade Regional de Saúde Pública (II Ursap), Jorge Motta. 

A gerente da II Ursap, Emiliana Bezerra Cavalcanti orienta os gestores municipais de saúde que “fortaleçam as estratégias, divulguem e implementem as medidas necessárias para, na ocorrência de casos suspeitos, desencadearmos as medidas em tempo oportuno. A gerente convida a população para se “unir à Sesap com o objetivo de se vacinar e evitar mortes”. 

Abdias Duque de Abrantes 
Assessor de Comunicação Social 
II Ursap MTB-PB Nº 604