Sesap realiza reunião sobre regulação e cirurgias eletivas em Mossoró

O secretário adjunto da Saúde Pública do Rio Grande Norte, Petrônio Spinelli, disse que o perfil da saúde no Brasil mudou e que a principal mudança foi o processo de financiamento. 

Spinelli fez essa declaração numa reunião com secretários municipais de saúde da segunda e oitava regiões de saúde ocorrida na II Unidade Regional de Saúde (II URSAP), em Mossoró, nesta quinta-feira (26), para debater cirurgias eletivas e regulação.

De acordo com Petrônio Spinelli, a transformação da saúde tanto ocorreu no aspecto quantitativo quanto qualitativo. "O congelamento da tabela SUS fez com que se criasse uma situação de extrema dificuldade. As responsabilidades aumentaram e com isso enfrentamos um quadro extremamente difícil."

Para Petrônio Spinelli, o estado definhou na sua capacidade de financiamento no sistema de saúde. "Nós chegamos na Secretaria Estadual de Saúde num momento extremamente ruim e precisamos costurar alternativas coletivas e Inter federativos. As regiões precisam dar contrapartidas com respostas mais complexas".

No entendimento do secretário adjunto da Saúde estadual, a discussão mais importante é identificar onde é o nó crítico. "As redes precisam ter segurança, transparência e, sobretudo, sustentabilidade", colocando que a regionalização e os consórcios Inter federativos de Saúde estão na pauta das discussões.

Participaram da reunião, além de Petrônio Spinelli, a gerente da II Usarp, Emiliana Bezerra Cavalcanti, o deputado estadual Bernardo Amorim, secretários (as) municipais de Saúde, coordenadora de Recursos Humanos da Sesap, Elenimar Costa Bezerra e a subcoordenadora de unidades de referência da Cohur, Micaela Vladivia.