quarta-feira, 4 de dezembro de 2019
A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO), realizou entre 23 e 27 de novembro de 2019, o 8º Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária (Simbravisa), na cidade de Belo Horizonte. O 8º Simbravisa teve como tema “Democracia e Saúde: caminhos e descaminhos da Vigilância Sanitária”. 

O Simpósio teve um total de 1.230 inscritos e 1.099 presentes. Reuniu pesquisadores, professores, estudantes de graduação e pós-graduação, gestores, profissionais de saúde, conselheiros de saúde, representantes de movimentos sociais – Constituiu-se em um evento de intenso intercâmbio técnico, científico e reflexão sobre as práticas em saúde e vigilância sanitária; mobilização política em torno dos valores defendidos pela comunidade da Saúde Coletiva e da Vigilância Sanitária. 

O homenageado do evento foi o médico, embaixador e literário, João Guimarães Rosa. A professora Ana Cristina Souto (ISC-UFBA), coordenadora do Grupo Temático Vigilância Sanitária, o GTVisa da Abrasco, e presidente do Simpósio, explicou como o temário está sendo construído: “Decidimos a partir de muito debate. Democracia está em destaque por conta do momento que estamos vivendo e a implicação desta crise, que está produzindo uma perda expressiva dos direitos. Temos estudado a obra de Guimarães, e ele trata os sertões, as profundezas, os caminhos, as idas, entradas. Isto também nos levou a pensar a ideia de caminho. E descaminho é reflexo desta crise. Todo um conjunto que nos levou a fazer essa analogia dos caminhos roseanos, abrir e pensar os sertões, esta profundidade – e um pouco também do que é a vigilância e a saúde, essa coisa tão complexa, mas que tem um caminhar nos últimos 30 anos, tão importante” explica Ana Souto. 

Do RN participaram 43 pessoas. As técnicas da Vigilância Sanitária da II Ursap, Teresa Emanuelle Pinheiro Gurgel, Ana Izaura de Almeida e Edna Rebouças Barbosa elaboraram um estudo sobre Análise de Gestão Ambiental nos municípios que compõem a 2ª e 8ª regiões de saúde. O trabalho foi apresentado no 8º Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária (Simbravisa), pela fiscal da Vigilância Sanitária da II Ursap, Ana Izaura de Almeida. 

O objetivo do estudo foi avaliar o setor de Vigilância Ambiental nos municípios que compõem a 2ª e 8ª regiões de saúde e a necessidade de iniciar a discussão da matéria, analisando suas lacunas e avanços quanto às políticas ambientais afim de fomentar o aprimoramento das atividades de Vigilância Ambiental. 

A análise da estrutura física demonstra que a maioria dos municípios tem o Setor de Vigilância Ambiental considerada ótima (sala com ar condicionado, forrada, com computador, impressora, internet, etc), com avaliação acima de 81%. Com relação às ações de Vigilância Ambiental, apenas duas vigilâncias (14,3%) da 2ª Região de Saúde e três (25%) da 8ª Região de Saúde não realizam ou realizam parcialmente as atividades atribuídas ao setor de saúde ambiental. O estudo demonstrou que apesar da maioria dos municípios das regiões de saúde possuir boa estrutura para o trabalho dos técnicos, a quantidade reduzida e o contrato temporário dos técnicos, associada a ausência de apoio da gestão atrapalham a continuidade das políticas ambientais. 

Faz-se necessário priorizar a impotência da avaliação periódica da atuação das ações de Vigilância Ambiental com o propósito primordial de apreciar a produção de decisões que desencadeiem o processo de intermediação e implementação de ações e políticas que impactem diretamente na sociedade. 

No ano em que a Constituição Cidadã de 1988 completa trinta e um anos, a Associação Brasileira de Saúde Coletiva – Abrasco quarenta anos e o Grupo Temático de Vigilância Sanitária – GTVISA completa dezoito anos, os participantes do 8º Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária, reunidos no Expominas, em Belo Horizonte de 24 a 27 de novembro, manifestaram o compromisso com a defesa do fortalecimento do Sistema Único de Saúde, dos direitos sociais e da democracia. 


Abdias Duque de Abrantes 
Assessor de Comunicação Social 
II Ursap MTB-PB Nº 604