terça-feira, 26 de novembro de 2019
O deputado estadual Allyson Bezerra (Solidariedade) saiu em defesa dos quase 900 pacientes diabéticos do município de Mossoró, que estão sem receber insulinas desde setembro. O assunto foi tratado por ele em pronunciamento durante a sessão ordinária nesta terça-feira (26).

Allyson enfatizou que enquanto os pacientes sofrem com a falta do medicamento, a prefeita de Mossoró Rosalba Ciarlini (PP) faz tour pela Europa, pago com dinheiro público do Município. Citou também a falta de medicamentos básicos nas unidades de saúde municipais.

“Chegaram na última sexta-feira novas insulinas e logo foram distribuídas e acabaram. E hoje o problema persiste, problema grave, porque a grande maioria delas não têm condições de ir numa farmácia e comprar esse medicamento, e por conta disso estão sofrendo, pedindo dinheiro emprestado, pedindo dinheiro a juros, vendendo seus bens para comprar insulina, que é obrigação do município de Mossoró”, afirmou destacando ainda que pacientes alegam sofrer até ameaças por parte de servidores públicos municipais, se denunciarem o caos, como noticiou um portal de notícias.

“Como eu aqui não tenho medo de ameaça e meu mandato é do povo de Mossoró, eu venho aqui repercutir o caos que a saúde pública do município enfrenta, não posso me calar, não posso ficar acovardado. Eu tenho que falar o que está acontecendo e esses quase 900 pacientes que deveriam estar se tratando não têm insulinas. Enquanto isso, a prefeita de Mossoró vai para a Europa em uma viagem custeada pelo município. A prefeita está viajando as custas do povo de Mossoró, inclusive ao lado de sua família”, destacou ele.

“Sabe por que faz isso? Porque não tem empatia com o povo, porque nunca viveu a situação desse povo, porque nunca passou por necessidade, porque se tem uma pessoa na sua casa que está doente, vai para os melhores hospitais, não do estado, mas de fora do estado, como tem sido noticiado pela imprensa", afirmou.

"Nunca necessitou ir pegar medicamento num posto de saúde, pegar insulina. Ir para fila, ir para um posto de saúde pegar ficha de madrugada em busca de uma consulta. Essa é a situação da saúde pública de Mossoró. É um caos”, afirmou.

O parlamentar mossoroense também provocou o Ministério Público Estadual para adotar medidas sobre o assunto. “Não é possível deixarmos esses quase 900 pacientes sem insulinas, que inclusive pode provocar a morte. Que o MP investigue, que a Câmara fiscalize”, concluiu.