terça-feira, 21 de maio de 2019
A II Unidade Regional de Saúde Pública (II Ursap), através do Programa Vida no Trânsito (PVT) realizou segunda-feira (20) de maio, várias palestras sobre a conscientização dos perigos do trânsito como parte do Maio Amarelo. O evento foi organizado pelo responsável pelo Programa Vida no Trânsito (PVT) da II Ursap, Erialdo Rebouças. Na oportunidade, falaram sobre o trânsito o agente de trânsito da Secretaria Municipal de Segurança Pública, Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Trânsito (CESEM) da Prefeitura Municipal de Mossoró, Luiz Correia e a responsável pelo Setor de Educação de Trânsito do DETRAN, Maria de Fátima Lucas de Medeiros. 

O Movimento Maio Amarelo nasce com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo e tem como objetivo colocar em pauta, para a sociedade, o tema trânsito e estimular a participação da população, empresas, governos e entidades. 

“Conclamamos toda a população de Mossoró e região a passar uma mensagem de comportamento seguro no trânsito, respeitando a legislação, sobretudo não ultrapassando os limites de velocidade e dirigindo alcoolizados, para evitarmos acidentes mais graves e mortes na direção. O foco de todas as ações do Maio Amarelo deve ser a prevenção, pois, se estivermos mais conscientes dos perigos no trânsito, a chance de evitá-los é maior. A educação e uma maior gentileza são fatores que contribuem muito para a diminuição de vítimas de trânsito”, conclamou o responsável pelo Programa Vida no Trânsito (PVT) da II Ursap, Erialdo Rebouças. 

“É fundamental que as pessoas sejam multiplicadoras de novos paradigmas sociais que propiciem à mudança de comportamento dos usuários na via, a partir da tomada de consciência do quanto é importante ter conhecimento não somente dos regramentos previstos na legislação de trânsito e transporte, mas também das regras de convivência no espaço coletivo, para que se construa uma cultura de respeito e civilidade no trânsito. O nosso comportamento no trânsito é que é fundamental para que ocorra uma diminuição no número de acidentes, do número de óbitos e do número de feridos,“alerta o agente de trânsito da SESEM de Mossoró, Luíz Correia. 

“Todo cidadão ou entidade civil tem o direito de solicitar, por escrito, aos órgãos ou entidades do Sistema Nacional de Trânsito, sinalização, fiscalização e implantação de equipamentos de segurança, bem como sugerir alterações em normas, legislação e outros assuntos pertinentes, conforme estabelece o artigo 72 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB)”, disse Luiz Correia 

Estudo aponta que mais de 50% dos acidentes de trânsito são causados por falhas humanas 

Pesquisa do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação mostra que a falta de atenção e a imprudência dos motoristas são maiores causadores de acidentes nas estradas federais. A quantidade de vítimas, mortos e feridos em acidentes nas rodovias federais é considerada uma das principais causas de morte no país. Segundo dados de um estudo realizado pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação sobre Segurança nas Rodovias Federais, 53,7% dos acidentes são causados pela negligência ou imprudência dos motoristas, seja por desrespeito às leis de trânsito (30,3%) ou falta de atenção do condutor (23,4%). É o chamado “fator humano”. 

Brasil é o quinto país do mundo em mortes no trânsito, segundo OMS 

O Brasil aparece em quinto lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito, atrás da Índia, China, EUA e Rússia. Segundo o Ministério da Saúde, em 2015, foram registrados 37.306 óbitos e 204 mil pessoas ficaram feridas. O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) pagou, em 2015, 42.500 indenizações por morte no país e 515.750 pessoas receberam amparo por invalidez. 
Principais causas 

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), entre as principais causas dos acidentes com mortes ocorridos em 2016 estão falta de atenção (30,8% dos óbitos registrados); velocidade incompatível (21,9%); ingestão de álcool (15,6%); desobediência à sinalização (10%); ultrapassagens indevidas (9,3%); e sono (6,7%). 

Acidentes com motos representam mais de 80% dos atendimentos oriundos do trânsito no HRTM 

Dados do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) mostram que, de janeiro a junho de 2018, do total de pacientes vítimas de acidentes de trânsito em Mossoró e região, 83,95% caíram, colidiram ou foram atropelados por motos. Foram 1.568 (51,55%) pacientes de queda de moto, 915 (30%) de colisão com motoqueiros e 64 (2,4%) vítimas de atropelamento por moto. Colisões e atropelamentos por carros representam, por exemplo, apenas 3,2% e 1,4%, respectivamente, do total de atendimentos decorrentes de acidentes de trânsito. Estatística oficial da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) coloca a frota de motos de Mossoró entre as 50 maiores do Brasil. Atualmente, somadas as motocicletas, motonetas e ciclomotores, circulam na cidade 77.820 veículos de duas rodas. A quantidade de carros totaliza 57.636, conforme balanço do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN). 

Abdias Duque de Abrantes 
Assessor de Comunicação Social 
II Ursap MTB-PB Nº 604


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acessos

NOS ACOMPANHE NO INSTAGRAM

COLUNA DO LÊNIN TIERRA

CONTATO DO BLOG

Telefone/Whats: (84) 9 8177-6707 Email: Contato@ofachodegrossos.com Facebook:  O Facho de Grossos © 2015 -2018 - O Facho de Grossos...

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

COLUNA DO EMILIO OLIVEIRA

O Facho de Grossos 2014. Tecnologia do Blogger.