domingo, 2 de dezembro de 2018
Por: Emílio Oliveira
Infelizmente, vivemos em um país que possui quase que infinitas riquezas potenciais, tais como: solos riquíssimos e variados, minérios dos mais desejados, rios perenes e gigantescos, água doce e potável em abundância, climas variados entre secos e temperados, insolação satisfatória para criarmos o maior parque solar do planeta Terra, com uma floresta tropical invejada por todos os outros países, com mais de oito mil quilômetros de litoral banhado pelo Oceano Atlântico, com um povo bom, ordeiro, trabalhador e paciente e que o sofrimento impingido a ele na fase inicial de sua formação o tornou um povo mais forte e pacífico por natureza, talvez até porque tenha compreendido durante todo aquele perverso processo de humilhação, que a violência nada acrescenta de positivo ao ser humano.

Porque formado pelo cruzamento das mais diversas raças terráqueas, somos também o povo mais miscigenado do planeta e, portanto, guardamos em nossos genes uma mistura que não existe em nenhum outro lugar, fato que nos propícia a favorável condição incomum de trazermos em nosso DNA a mais rica variabilidade genética e, com isso, também os mais diversos tipos de nuances de personalidades e pessoas de todas as raças que se cruzaram. O Grande Darcy Ribeiro dizia que aqui no Brasil se montou a maior fábrica de gentes de todo o mundo. Temos o branco que é totalmente branco, mas também o branco miscigenado; temos o negro totalmente negro e o negro com cara de branco; temos o cafuzo, o mulato, o mameluco e o índio. 

Noutras palavras, temos as variabilidades genotípicas e fenotípicas mais favoráveis do planeta Terra e também todas as possibilidades de um povo, cujo sangue foi misturado ao extremo, mas, infelizmente, ainda não temos em contrapartida o que o mundo surpreso e estupefato espera de todos nós. Riqueza para quase todos, trabalho, dignidade, honestidade, justiça social, distribuição de renda e patriotismo. Quanto ao patriotismo, talvez tenhamos pouco porque ainda não aprendemos a ser mais justos e dignos com nós mesmos. Temos, portanto, tudo o que os outros países gostariam de também ter, e ainda não aprendemos a construir a nossa própria felicidade.

Por que será, hein? Será que é porque Deus nos fez inadequados, feios, ignorantes, atrasados, indefesos, fracos, pusilânimes, sem reação e totalmente indiferentes ao que nos acontece com o passar do tempo? Não! Não somos assim por criação como à primeira vista poder-se-ia até concluir. O problema do Brasil é um problema de educação que vem se arrastando desde a época do escravismo. Lá como cá, o filho do miserável escravo e nem o do pobre aparentemente livre, tinham direito a estudar numa escola que, quando adulto, lhe possibilitasse enxergar o mesmo mundo que os filhos de nossas elites enxergam, mas que nunca puderam fazê-lo porque o egoísmo dessa gente plantado por gerações em seus duríssimos corações, simplesmente não deixava e ainda hoje, no presente, não deixa. 

No presente podemos até considerar que evoluímos um pouco porque continua a escola do filho do rico, que ensina a ele a dominar o mais desprotegido; e a escola do filho do pobre, que antes nem pensar, mas que hoje o recebe apenas para camuflar a desigualdade que vergonhosamente ainda campeia solta pelo país afora com o apoio inclusive de algumas igrejas que, tal como antes, ainda legitimam toda essa barbárie contra os pobres mesmo sendo hipocritamente dito a eles que são também filhos de Deus. Bastaria uma só pergunta para desarmar tanta falácia. Mas, enfim quem vai fazer essa pergunta se quase todas as igrejas estão também mergulhadas até o pescoço no aparato político, jurídico e financeiro do país?

Na verdade, não podemos sequer desconfiar da nossa riquíssima genética que nos deu um protótipo humano altamente adaptado para viver ou num mundo muito hostil ou até mesmo no melhor possível, mas que enfim teve a má sorte de ser conduzido historicamente por parte significativa de uma elite sem o verdadeiro amor de Deus em seu coração, e o resultado de toda essa desumanidade que de forma tão insatisfatória vivemos hoje, deve ser creditada apenas a essa gente mal agradecida que nunca olhou para o Brasil como se ele fosse o seu verdadeiro país, amando-o e ao seu povo também como se ele, o povo, fosse seu irmão que, queira ou não queira é. 

No passado, significativa parte de nossa elite se formou no exterior ou mais especificamente em Portugal e/ou Inglaterra e quando aqui chegava depois de formada, tratava os escravos negros, os brancos pobres, os cafuzos, os índios e os mamelucos, como se fossem bichos selvagens que precisavam trabalhar apenas para comer e renovar a sua força de trabalho para no dia seguinte continuarem abastecendo, com o suor de seus envelhecidos rostos, as ricas bolsas dessa torpe gente que sociologicamente cheirava ao fétido suor dos milhares de miseráveis desumanamente explorados com suas curtas vidas tão insensivelmente queimadas tal qual uma vela queima no seu lento processo de combustão.

Quando eu me refiro as nossas elites, torna-se claro que não estou me referindo a todas e nem tampouco isentando às elites dos países centrais não - até porque -, aquelas lá, em alguns aspectos, são bem piores que as nossas. Na verdade, são essas elites internas e externas que comandam todo o mundo capitalista e até o socialista também. Elas são praticamente as donas de todo o planeta e sempre dominam pelo poder do dinheiro, visto ser com ele que facilmente cooptam os meios de comunicação de massa, os quais nunca dizem a verdade ao povo, mas somente o que interessa a esse monstruoso e desumano sistema de consumo humano que tão bem conseguiram montar.

Há poucos dias atrás abordei o tema da comunicação de massas e ali descrevi a forma como parte dessa gente se utiliza desde o aparecimento da televisão para distorcer ou até mesmo criar as notícias, mantendo as sociedades mundiais sob o seu total controle. Agora, em virtude do surgimento dos computadores e em seguida dos Smarthphones, IPhones e Tabletes e a Televisão saindo rapidamente de cena, parte significativa da elite mundial, com o surgimento e o crescimento exponencial das redes sociais, está encontrando muitíssimas dificuldades para continuar controlando toda a manada que, com essa milagrosa tecnologia, conseguiu sair desse tão maquiavélico círculo de desinformações a nível local e mundial que infelizmente a encabrestava.

Para tanto, ela já está rapidamente se articulando em todos os países para aumentar significativamente o preço das informações via Internet e assim evitar que suas principais vítimas, os mais pobres e necessitados de todo planeta Terra, tenham acesso total a ela através dos já tradicionais Roteadores que geram as Redes de HiFi. Na verdade, as redes sociais de custo baixo para todos, são uma terrível ameaça para os interesses dessa gente, visto que acostumada a dar as cartas em termos de comunicação de massas no mundo todo, começa a se sentir no mato sem cachorro e juntamente com os governos mundiais seus eternos aliados, não podem aceitar a total liberdade de comunicação dessas massas que - por tanto tempo -, foram propositadamente manipuladas.

Mas, voltando ao assunto que realmente nos interessa, todas as elites dos impérios capitalistas ou até mesmo socialistas, demonstram sempre ter um profundo sentimento de patriotismo por seus países de origem, diferentemente de grande parte dessa nossa aqui que, por um punhado de dólares, têm se mostrado, ao longo de toda a nossa história, capaz de leiloar, sem o menor remorso possível, todas as nossas riquezas construídas, desenvolvidas e potenciais. Então, como a televisão, tanto lá quanto cá se apresenta totalmente manipulada, geralmente só enfoca como importantes, apenas os velhos temas de lesa-pátria ao nosso povo eternamente desavisado, como se fosse um verdadeiro negócio da China.

Então, se temos capacidades genéticas intelectuais das mais variadas e brilhantes possíveis, condições climáticas as mais favoráveis, solos e climas dos mais desejáveis, minérios ricos e dos mais raros e procurados, ventos fortes e em abundância, máxima insolação diária e água mais que suficiente, há que se perguntar justamente a essa parte atrasada e significativa dessa nossa tão incoerente elite, qual o porquê de o nosso país ainda não ter dado certo? A meu ver é por essa eterna e simplista visão míope, atrasada, indiferente, antipatriótica e egoísta de parte de nossa elite que, mais parece uma verdadeira inimiga do país e de seu povo sofrido. 

Finalmente, ante tantas e tão claríssimas evidências da falência moral e até mesmo proposital de nossas elites, qual é verdadeiramente o país que queremos? Queremos e mais que merecemos um país onde todos os seus habitantes tenham um emprego digno, uma casa e um salário decentes para viver com a família, educação de qualidade, saúde também de qualidade e indistintamente para todos, segurança jurídica, policial e cidadã e justiça social e oportunidades iguais também para todos. Esse é o país que queremos e mais que merecemos. Agora, uma democracia em toda parte onde ela exista, é sempre um governo de conquista e de maioria e nunca de concessão e por isso mesmo é que jamais iremos chegar a essas tão merecedoras e honrosas conquistas, se nós verdadeiramente não lutarmos por elas. 

Em outubro próximo houve mais uma eleição geral no Brasil e o que se viu foi outra vez os brasileiros desde o Oiapoque ao Chuí, escolherem os seus futuros representantes, quer no legislativo, quer no executivo, balizados apenas em suas emoções e simpatias e não em suas Inteligências representadas por seus cérebros. Afinal de contas, uma eleição nunca foi um concurso de simpatia como erradamente temos pensado nos últimos anos e essa tem sido a causa maior do cometimento de tantos erros pelos quais estamos todos hoje tristemente pagando.

Os candidatos estavam postos: os da direita - que durante toda a nossa história política e econômica sempre prometeram, porém jamais assumiram qualquer compromisso maior com as multidões abandonadas que eles nunca deixaram possuir sequer a dignidade cidadã; e os da esquerda - que excluídos os comprovadamente inexperientes e ainda de primeira viagem, podiam, com o legítimo empoderamento garantido pela confiança da maioria, fazerem o urgente, patriótico e indispensável trabalho de salvação de nossa tão sofrida pátria que todos nós sempre esperamos dos nossos representantes eleitos. 

Portanto, o futuro desse país que tanto amamos e de nossas famílias que tanto prezamos, estará mais uma vez nas mãos dessas pessoas em quem na expressão de nossa maioria acreditamos e confiamos o nosso sagrado voto. Fizemos as nossas escolhas boas ou más e agora só nos compete esperar pelos resultados. Se tivermos acertado, teremos um futuro melhor e mais feliz. Se não, mais uma vez repetimos os mesmos erros do passado, nos deixando outra vez enganar por aqueles que demonstravam antes da eleição que eram os nossos únicos defensores. 

Assim sendo, o nosso futuro pessoal, familiar e o do nosso próprio país, será uma responsabilidade inteiramente nossa. Ante tão flagrante realidade, o nosso bem ou nosso mal no futuro, vai depender única e exclusivamente das escolhas que fizemos. Como todos devem saber, o resultado do pleito determinado pela maioria dos eleitores brasileiros evidentemente que não foi do meu total agrado, principalmente no que se refere ao futuro mandatário maior da nação que, ainda durante a campanha, não cessava de afirmar que não acreditava nele. 

E não acreditava não porque simplesmente não gostasse pessoalmente dele, mas sim pelo seu flagrante e visível despreparo. Eu nunca vi nele e continuo não vendo uma pessoa que realmente se preparou e se capacitou para o cargo que deseja ocupar e que, por sinal, é o mais importante de uma democracia republicana como a nossa. Se eu estiver errado o tempo dirá e eu quero aqui me comprometer com todos que, se o que eu penso dele não se configurar no futuro desempenho do cargo, mas ao contrario ele se revelar um excelente presidente, de público, eu lhe peço desculpas e irei elogiá-lo da mesma forma como o critiquei. Tenho dito!...

Emílio.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acessos

PESQUISE AQUI

Receba nossas notícias no e-mail

CONTATO DO BLOG

Telefone/Whats: (84) 9 8177-6707 Email: Contato@ofachodegrossos.com Facebook:  O Facho de Grossos © 2015 -2018 - O Facho de Grossos...

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

COLUNISTAS

COLUNISTAS
EMÍLIO OLIVEIRA
O Facho de Grossos 2014. Tecnologia do Blogger.