domingo, 5 de novembro de 2017
Eu já escrevi anteriormente sobre esse assunto, mas continuarei a bater nessa tecla que reputo de muitíssima importância para que se possa realmente compreender o que esta ocorrendo verdadeiramente com este nosso tão amado país. Eu sou polêmico e por isso gosto de polêmica - até porque é através dela que a gente continua aprendendo mais e mais sobre todas as coisas importantes da nossa vida. Numa polêmica, geralmente se confrontam uma tese e uma antítese, que termina sempre ou desaguando logo numa síntese que é o ideal, ou a polêmica continuará a desafiar os limites das inteligências daqueles que se envolvem no confronto, até desaguar numa síntese final. 

Pois bem, amigos, essa semana estive mais uma vez em Mossoró e conversando com os velhos amigos do centro do comércio daquela cidade – uns, com ideias mais parecidas com as minhas – outros, com ideais mais divergentes - até que um deles que eu o considero como uma pessoa inteligente, disse que o estado brasileiro precisava diminuir de tamanho e vender parte significativa de seu patrimônio para a iniciativa privada porque somente assim o poderia andar para frente. Aí, como polêmico que sou, eu perguntei, mas andar para onde ou para quem?

Foi então que a polêmica começou e eu perguntei se era verdade mesmo que ele acreditava que o estado brasileiro era realmente grande como ele estava afirmando?! Ele reafirmou que sim que era preciso vender a Petrobras, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, os Campos do Pré-Sal e a Eletrobrás que inclusive já foi vendida a preço de banana e deveria o estado ficar apenas com a saúde, a educação e a segurança e essa era a tese sustentada por ele. 

Certamente que ele não leu isso em livro nenhum e deve ter ouvido ou assistido o parecer de algum “especialista” na televisão, visto que ali essa é sempre a velha receita apontada pelos órgãos de comunicação que estão sempre a serviço dos ricos e poderosos desse país, os quais são também os próprios proprietários desses meios que mais distorcem as notícias que realmente informam a nossa não muito lida população.

Então a sua tese é que o estado brasileiro é muito grande e para quem eu perguntei? Para toda a sociedade e por isso mesmo é que não tem dinheiro nem para a saúde, nem para educação, e nem para a própria segurança porque quem está mandando nesse país são os marginais, respondeu ele. Quanto a serem os marginais que estão mandando eu concordo com você e principalmente os que estão em Brasília. Mas, vamos analisar a sua tese com toda a calma e racionalidade possível, embora que discorde totalmente dela.

Você mesmo disse com suas palavras que nos hospitais, não têm remédios, nem médicos, nem enfermeiros e nem meios de curar dignamente às pessoas e eu concordo; você disse que não tinha dinheiro para uma educação de qualidade e eu concordo; e por último, você também disse que não tinha dinheiro para a segurança e por isso mesmo os bandidos estavam soltos nas ruas roubando, assaltando e matando pessoas inocentes, o que eu também concordo.

Então, como se pode considerar o estado brasileiro grande demais se ele não disponibiliza sequer recursos suficientes para o custeio de suas despesas básicas que são as com a saúde, a educação e a segurança da população? O problema amigo é que o estado brasileiro é pequeno demais para os pequenos que somos nós e grande demais para os maiores que são os ricos e poderosos desse país. 

Se a gente for analisar o gráfico do orçamento da União que é bastante ilustrativo, percebe-se claramente que a sua maior despesa não é com esses itens importantíssimos que você citou não. Mas sim, com o pagamento dos juros de nossa dívida interna que já se aproximam dos 4 trilhões de reais, valor esse que corresponde a 48,5% do nosso PIB. A outra despesa maior depois da dos juros é com a Previdência Social que corresponde a 30,2% do PIB, restando somente 21,3% do valor total do nosso PIB para custear todas as outras despesas correntes do país e olhe que são muitas. 

Somente este ano vão ser acrescidos a essa dívida quase 600 bilhões de reais, oriundos do déficit fiscal de quase 190 bilhões até o fim do ano e mais 400 bilhões de vencimento do principal. E como não temos nenhum centavo para pagar nada agora, todo esse valor vai ter que ser contabilizado e acrescido à nossa dívida. E é justamente por isso companheiro, que não há dinheiro suficiente para os gastos com as necessidades básicas de nossa tão carente população. E ele que estava agindo como um inocente útil aos espúrios interesses de nossa desalmada elite, não sabia disso e a maioria do povo brasileiro realmente não sabe, até porque não é do interesse dos poderosos desse país que o povo saiba de tão contundente informação.

Finalmente ele parou, pensou um pouco e terminou concordando plenamente comigo e inclusive disse até que a partir daquele momento iria também explicar ao povo o porquê de não ter dinheiro para atender aos anseios de todos aqueles que atualmente se encontram em extremas dificuldades e que é a maioria esmagadora dos brasileiros. Agora, o que se precisa fazer para se sair dessa situação? Como diz Ciro Gomes em suas educadoras palestras no YouTube, primeiramente deve ser feito uma auditoria da dívida para se saber se realmente essa montanha de dinheiro que estamos devendo é realmente verdadeira e porque cresceu de forma tão exponencial em tão pouco tempo?

Terá sido apenas pela ignorância técnica de nossas autoridades monetárias ou também pela irresponsabilidade, visto que a cada dia cuidam menos dos reais interesses da nação do que dos interesses dos bancos privados nacionais e internacionais e dos ricos desse país que são os credores maiores dessa monstruosa e suspeita dívida? Depois da auditoria concluída, o que restar dela, deverá ser honrada e paga, até porque aí está hospedada também a poupança e as pequenas economias de muitos brasileiros humildes.

Como diz o grande Ciro Gomes que a meu ver é dos atuais postulantes a Presidência da República o mais experiente e capacitado – até porque já foi prefeito de capital, governador de estado, deputado estadual, deputado federal, ministro da fazenda no tempo do real e ministro da integração nacional, tendo inclusive conseguido desburocratizar e construir a pedido do ex-presidente Lula o canal que traz a água do Rio São Francisco para todo o Nordeste brasileiro, tendo sido convocado para essa tão importante missão porque já havia construído em apenas 90 dias o canal do trabalhador que abastece a cidade de Fortaleza.

Ninguém em sã consciência discorda que ele é um homem limpo, corajoso, honesto, honrado, culto, patriota e altamente preparado para a função de presidente da republica, haja vista ser um profundo conhecedor do Brasil e suas múltiplas regiões e com um projeto de desenvolvimento nacional viável e exequível debaixo do braço. Ele simplesmente diz e eu concordo com ele que essa conversa fiada de estado mínimo é o que interessa somente a essa mesquinha turma da extrema direita que prega o neoliberalismo que é ótimo para todos eles, mas que, sistematicamente, vem quebrando todos os países do planeta, tendo começado inclusive pelo próprio EUA, com a crise de 2008, quando foi preciso o presidente Barack Obama injetar quase 16 trilhões de dólares do tesouro americano na economia, tendo a mesma quebradeira também se alastrado para toda a velha Europa que ainda se encontra aos pandarecos. 

Na sua luta para chegar à presidência da república ele vem fazendo um verdadeiro périplo pelas universidades brasileiras onde há mais pessoas pensantes, ensinando através de palestras aos nossos estudantes universitários e também ao povo brasileiro um pouco sobre a história econômica do país e do mundo, sobre política e sobre economia, fato esse que demonstra suas boas intenções em primeiramente discutir os reais problemas brasileiros não somente com um grupo mais seleto de pensantes, mas também com a população em geral que o assiste quase todos os dias através do YouTube. 

Na verdade, ele vem de forma inteligente e generosa até ensinando aos brasileiros que não tinham nenhum conhecimento em assuntos de tamanha complexidade fundamentos de história de política econômica, englobando taxa de juros, taxa de câmbio pré e pós fixada, metas de inflação, exportações, importações, commodities, déficit da balança de pagamentos, inflação de custos e de demanda, desindustrialização do país, reindustrialização e ainda a forma antipatriótica como se tem administrado o nosso Banco Central, sempre capitaneado por um executivo de um dos nossos grandes bancos privados. 

Se o povo brasileiro tiver aprendido alguma coisa com o sufoco que vem ultimamente passando, espero que diferentemente do que ocorreu no passado com o grande Leonel Brizola e com o nosso maior jurista Rui Barbosa, ambos candidatos por duas vezes a Presidência da República e o povo brasileiro não conseguiu entender as suas lutas no sentido da construção de um grande país para todos nós brasileiros e que, dessa vez, de forma mais proativa, não deixe passar mais essa oportunidade e dê uma chance a esse outro grande estadista Ciro Gomes para que ele possa conseguir juntamente com todos nós brasileiros, construir um novo e verdadeiro país, do qual todos nós possamos no orgulhar no futuro. 

Mas voltando ao estado brasileiro ele sempre foi grande demais para os ricos que teoricamente não precisam dele, e pequeno demais para os pobres que não podem sobreviver sem ele. Vejam o que geralmente acontece com as dívidas resultantes de multas e dívidas contraídas com a Previdência Social pelos bancos privados e as grandes empresas nacionais e multinacionais. Elas se acumulam no Banco Central e na própria Previdência Social e vão crescendo e ficando vultosas e aí, seus dirigentes alegam que são impagáveis e nossas autoridades monetárias ou as perdoam de vez ou as abate significativamente. Foi mais ou menos isso o que aconteceu recentemente com um dos bancos privados brasileiros que recebeu o perdão de uma multa de 25 bilhões de reais, conforme foi divulgado por alguns segmentos menos comprometidos da nossa imprensa. 

E como a grande imprensa brasileira sempre tem demonstrado subserviência aos interesses menores dessa gente mesquinha que somente pensa em lucros, ela não divulga como deveria que a maior despesa do estado brasileiro é com o pagamento dos juros da dívida interna e nem que a taxa de juros do Brasil é uma das maiores do mundo. Ao contrário, eles divulgam ostensivamente que a despesa da Previdência Social é o que está inviabilizando o desenvolvimento do país - o que segundo os auditores fiscais da própria Previdência Social -, é uma deslavada mentira. 

A Previdência Social brasileira realmente tem problemas que precisam ser resolvidos, mas não é com essa reforma proposta por esse governo sem credibilidade que se vai resolvê-los. A reforma que querem apresentar a nação é somente no sentido de assegurar os recursos para o devido pagamento a qualquer preço dos extorsivos juros aos nossos rentistas que são pouquíssimos (bancos e grandes empresas nacionais e estrangeiras), e retirar a qualquer custo direitos adquiridos pelos trabalhadores, mas, ao mesmo, conservando os privilégios de uma minoria do setor público que leva aproximadamente 25% de toda a sua arrecadação. 

Para perpetrar tamanha maldade recentemente criaram a DRU–Desoneração de Receitas da União que permite a retirada de 30% de todo o dinheiro da Previdência Social para o pagamento aos rentistas e mostram na televisão o fictício déficit que eles mesmos criaram para justificar a urgência da reforma. E o pior de tudo isso é que alguns segmentos do próprio povo como uma parte de sua classe média que não é muito chegado a ler e se informar a respeito de seus direitos, ainda acredita neles. 

Além de tão flagrantes distorções, estão tramando ainda na calada da noite em como aumentar o tempo de contribuição dos que no futuro nem sequer conseguirão tempo para se aposentar pela previdência pública e ao mesmo tempo empurrarem essa parte da classe média que lhes deu franco apoio no golpe para a previdência privada que interessa apenas aos bancos privados que operam nesse país. 

E finalmente como não é novidade para ninguém que a classe média brasileira já vem pagando por fora à educação dos filhos, a segurança de suas casas e ainda serão sem pena e nem piedade empurrados para a previdência privada que somente pensa em lucro, arriscando-se seriamente de pagarem por muitos anos e quando chegar o tempo da aposentadoria, se o conseguirem, esses bancos onde vão depositar o seu futuro e de suas famílias quebrarem? 



Sinceramente não torço para que isso venha acontecer, mas que pode perfeitamente acontecer pode, a não ser que o nosso velho Tesouro Nacional, como é de praxe, garanta a liquidez de todos esses tão grandes depósitos. Porém, para que isso não venha acontecer, há somente um caminho: Ciro Gomes, neles!...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

Acessos

FAN PAGE

COLUNISTAS

COLUNISTAS
EMÍLIO OLIVEIRA

PESQUISE AQUI

O Facho de Grossos 2014. Tecnologia do Blogger.