quarta-feira, 7 de junho de 2017
O pequeno e animado grupo dos judeus de Grossos, se reúnem depois de sete semanas completas depois da festa da páscoa judaica e comemoram a festa de Shavuot, conforme mandamento de Deus (YHVH) em que os filhos de Israel deveriam obedecer e realizarem a festa de Hag Ha Bicurim ou Shavuot – Festa dos primeiros frutos ou festa das semanas. Nessa época a Torá foi revelada aos filhos de Israel.
“… contarei para vós, desde o dia depois do Sábado, isto é, desde o dia em que houverdes trazido o molho da oferta de movimento, sete semanas inteiras; até o dia seguinte ao sétimo Sábado, contareis cinqüenta dias; então, oferecereis nova oferta ao Senhor. Das vossas habitações trareis, para oferta de movimento, dois pães de dois décimos de efa; serão de flor de farinha, e levedados se cozerão; são as primícias do Senhor. Com os pães oferecereis sete cordeiros sem defeito, de um ano, um novilho e dois carneiros; serão holocausto ao Senhor, com as respectivas ofertas de cereais e de libação, por oferta de cheiro suave ao Senhor. Também oferecereis um bode para oferta do pecado, e dois cordeiros de um ano para sacrifício de ofertas pacíficas. Então o sacerdote os moverá, juntamente com os pães das primícias, por oferta de movimento perante ao Senhor, com os dois cordeiros; santos serão ao Senhor para uso do sacerdote. E fareis proclamação nesse mesmo dia, pois tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis; é estatuto perpétuo em todas as vossas habitações pelas vossas gerações…” (Levítico 23:15-21)

Como a religião israelita não é uma religião de salvação, todos os filhos de Israel obedecem a Deus sem esperar recompensa, pois nós cremos se há recompensa não há amor verdadeiro.

Um antigo mestre de nossa religião dizia: [...] Não sejam como trabalhadores que trabalham e no final do dia aguardam o salário; Não esperem recompensas de Deus, e o temor do céu estará sobre vós”.

No mês de Sivan terminava a colheita de cereais e assim, dos próprios produtos que graças à proteção divina puderam ser extraídos do solo eram separadas as primícias como oferendas.

Por isso Shavuot se chama também hag HaBicurím, festa das primícias .

Nos tempos do Templo, Shavuot assim como Pessach e Sucot se caracterizavam pelas peregrinações. Grandes grupos de agricultores afluíam de todas as províncias, e o país adquiria um aspecto animado e pitoresco.

Os peregrinos marchavam para Jerusalém, acompanhados durante todo o trajeto pelos alegres sons das flautas. Em cestos decorados com fitas e flores, cada qual conduzia sua oferenda: primícias do trigo, cevada, uvas, figos, romãs, azeitonas e tamaras, produtos que davam renome ao solo da Terra de Israel.

Chegados à Cidade Santa eram acolhidos com cânticos de boas-vindas e penetravam no Templo, onde faziam a entrega de seus cestos ao sacerdote. A cerimônia se completava com hinos, toques de harpas e outros instrumentos musicais.

Daí evoluiu para uma festa caseira, com grande fartura de alimentos, com o intuito de comemorar uma boa colheita.

O Shavuot, também celebra a revelação da Torá ao povo de Israel, por volta de 1300 a.E.C. Nessa época ocorreu a libertação dos filhos de Israel.



Feliz Shavuot!













Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

Acessos

FAN PAGE

COLUNISTAS

COLUNISTAS
EMÍLIO OLIVEIRA

PESQUISE AQUI

O Facho de Grossos 2014. Tecnologia do Blogger.