domingo, 26 de março de 2017
Estas CARTAS apresentam um conhecimento que as pessoas ao longo dos séculos, têm desejado obter. Porém, não o receberam por que seu conhecimento cientifico mundial não era suficiente para capacitá-los a compreender. Foi assim quando estive na Palestina na pessoa de “JESUS” – expliquei sem cessar a VERDADE da EXISTÊNCIA UNIVERSAL de diversas maneiras, mas ninguém entendeu.

Como a maioria de vocês deve compreender, não vim neste momento para trazer uma nova religião, um código moral melhor, ou um novo “Deus” a quem adorar. Também não prego o “pensamento positivo”, como o fazem os seus metafísicos. O pensamento positivo da forma como a humanidade o concebe, para magnetizar suas necessidades e desejos humanos e os meios para alcançar suas ambições, simplesmente fortalece seu impulso egocêntrico.

Todas as coisas abençoadas e generosas serão manifestadas em você e em sua vida à medida que você compreenda que o Universo inteiro é CONSCIÊNCIA UNIVERSAL transcendente, tornada visível quando ELA toma forma material através da atividade do ego. O verdadeiro propósito de sua jornada espiritual é o de livrá-lo da escravidão do seu ego e o de fazer o mais puro contato com a CONSCIÊNCIA DIVINA. 

O seu destino final é o de reconhecer a SUA onipresença, tanto dentro de você como também em todas as suas atividades diárias. O seu objetivo espiritual supremo é chegar ao momento espiritualmente elevado em que você finalmente compreenderá que sua mente humana e seus desejos são finitos. 

Portanto, eles nunca poderão levar você à felicidade e à realização que experimentará quando abandonar a sua individualidade e vier à CONSCIÊNCIA DIVINA pedindo UNICAMENTE PELO Caminho Mais Elevado, pela Vida Mais Abundante e pelo Verdadeiro PROPÓSITO Espiritual, que você somente pode cumprir em seu estado terreno.

Assim, para ajudar você a alcançar este alto ponto de compreensão, detalharei as origens e a função do EGO. Enquanto você comtempla seu mundo, vejo uma dimensão atualmente controlada pela FORÇA do EGO. Todas as coisas más em SUA DECADENTE SOCIEDADE ATUAL, em suas enormes cidades sem alma, surgem da Força do Ego. Essa é a fonte de toda atividade cruel, mentirosa e pervertida que está atualmente em operação em seu planeta.

Essa força controla os meios de comunicação, a TV, as famílias e nações, produz as guerras em todo o planeta, cria um miasma turvo de energias de baixa consciência que as Entidades Espirituais Elevadas percebem e que é por demais horrível de se comtemplar. O seu Ego está impulsionando você se sua atual consciência está impregnada pelo amor às posses e por uma incapacidade de compartilhar com os demais, planejando modos de se fazer rico à custa dos outros, roubando, não cumprindo com o trabalho conscienciosamente, não dando valor ao dinheiro que recebe, reclamando, resmungando, permitindo-se criticar, ser sarcástico, julgar, rejeitar, denegrir gerando inimizade, intolerância, ódio, ciúmes, agressão, impulsos violentos, falsidades, relações desonestas e difamação.

Se Você é assim, seu ego está no controle e você terá dificuldades para deslocar-se através do miasma da consciência egocêntrica para poder ver a Realidade. Por esta razão Eu venho, por meio destas Cartas, para ajudá-lo a compreender exatamente o que está aprisionando você nas suas condições atuais, neste horror que a mente humana não poderia imaginar há um século. Agora passo a explicar mais detalhadamente o EGO.

NO MOMENTO DE SUA CONCEPÇÃO, durante o ato sexual, quando a consciência de seu pai se elevou via espinha dorsal até o alto da cabeça e a tensão atingiu seu ponto máximo, a consciência de seu pai tocou brevemente a CONSCIÊNCIA DIVINA, criando um relâmpago, uma pequena explosão que ele viveu sob a forma do orgasmo, após o que uma injeção de CONSCIÊNCIA DIVINA infundiu-se em seu sêmen para dar vida ao óvulo de sua mãe.

O momento da união com a mulher e a explosão de tensão no homem no momento do orgasmo, reproduz o momento do BIG BANG já descrito na Carta 05, quando a UNIDADE da “Consciência Pai – Mãe” explodiu em energias separadas, e tomaram forma as primeiras partículas elétricas, assim como a matéria aleatória. A “Consciência Pai” forneceu a energia de atividade e ímpeto, e a “Consciência Mãe” forneceu a ”ligação” para dar forma e substância às partículas elétricas.

Estes são os Impulsos Primitivos que dão vida e forma ao homem e a mulher. Quero que você compreenda que a criação não é uma criação de “matéria” impregnada com consciência. A criação é a forma visível dos Impulsos Originais atraídos e reunidos em formas e entidades individuais, todas expressando facetas e combinações diversas dos Impulsos Originais, em uma imensidade de maneiras diferentes. 

Portanto, os Impulsos Originais são a realidade que seus olhos, ouvidos, olfato e tato dizem ser matéria sólida. Porém, na realidade são Impulsos de Consciência individualizados com a finalidade de serem experienciados, compreendidos intelectualmente e emocionalmente apreciados. No momento da concepção, quando o sêmen se une com o óvulo e acontece o acasalamento, os cromossomos de consciência masculina se unem aos cromossomos de consciência feminina. 

Esta é uma união física da consciência do sêmen de seu pai e da consciência do óvulo de sua mãe, projetada pelo Divino. E assim, os cromossomos de consciência masculina e feminina levam gravado o padrão genético do DNA do pai e da mãe. O momento da união física do sêmen e do óvulo é conduzido em dois níveis de criatividade.

A injeção da CONSCIÊNCIA DIVINA se tornou sua ALMA corporificada na união da consciência humana do sêmen e do óvulo. O corpo físico foi criado, impulsionado pela “Consciência Pai – Mãe – Vida”, a qual controlou a atividade e a ligação das células conscientes, produzindo o gradual crescimento e desenvolvimento de seu corpo físico – que é realmente a Consciência tornada visível em cada nível de seu ser – e nada mais. A alma permaneceu como uma “chama” inviolada (metáfora) da “VIDA-Pai-Mãe” profundamente entrelaçada nos impulsos físicos de: ATIVIDADE – LIGAÇÃO/REPULSÃO. Isso se converteu em sua individualidade e personalidade terrena, incorporados nos transcendentes IMPUSOS de VIDA da Consciência Divina Pai-Mãe.

Esses Impulsos de Consciência agora se encarregam do processo de criação de sua consciência física e se tornam a força impulsionadora de sua personalidade. Juntos, “Atividade e Ligação” trabalham para construir uma célula consciente após outra, segundo as especificações da consciência contida nas moléculas de consciência do DNA.

Tanto a personalidade como o corpo são os produtos desses impulsos humanos de Atividade – Ligação/Repulsão. Enquanto a CONSCIÊNCIA UNIVERSAL permanece para sempre em equilíbrio no espaço, e, portanto, imperceptível, nesse mesmo espaço, em frequências vibratórias, os impulsos primitivos de Atividade – Ligação/Rejeição trabalham juntos na dimensão visível, aparecendo aos seus sentidos sob a forma de eletromagnetismo .

Assim, tanto a CONSCIÊNCIA UNIVERSAL como também a sua Alma permanecem inalteradas no silêncio e quietude do equilíbrio no espaço. A criatividade da consciência terrena toma lugar no espaço-tempo e nas frequências vibratórias variáveis da consciência materializada. E dessa maneira você assume a forma viva e continua a existir em duas dimensões.

Uma invisível, a CONSCIÊNCIA DIVINA; e a outra, visível, é tudo o que o ser humano vivo pode sentir ou compreender, até que o desenvolvimento espiritual eleve as frequências vibratórias de sua consciência humana a um plano espiritual mais elevado e um vislumbre de entendimento entre finalmente em sua consciência terrena. Enquanto este processo de iluminação gradual continua, a consciência humana elevada trabalha então conscientemente, tanto na dimensão invisível quanto na visível.

Quanto mais elevadas são as frequências vibratórias da consciência individualizada, mais elevadas e perfeitas são as formas criadas na mente – quanto mais baixas são as frequências de vibração, mais separadas da Perfeição Universal do Amor são as formas criadas na mente individualizada, totalmente possuída pelo Ego.

O EGO controla o desenvolvimento do feto desde o momento da união do sêmen com o óvulo. O novo pequeno ser torna-se de imediato o “Eu” que sente satisfação e insatisfação no útero materno, dependendo da sensação de conforto ou mal-estar e do que ocorrer com a mãe.

Quando você nasceu, ao ser separado do conforto do útero que o guardava, seus instintos de sobrevivência, impregnados com o profundo conhecimento original do “ser criado” existente em cada célula vida de seu corpo, o levaram a respirar e o tornaram consciente de um vazio e de uma perda emocional, que sentiu como um vazio físico e uma necessidade de nutrição física. 

E assim, nasceu o choro de seu Ego. Quando chorava, sua mãe lhe dava de mamar, o que era profundamente satisfatório, - tanto física quanto emocionalmente. Quando suas necessidades eram plenamente satisfeitas, poderia voltar a um estado de equilíbrio no sono. Quando você despertava desse equilíbrio, sentia uma sensação de insegurança, pois o equilíbrio agora estava dividido em conhecimento mental e emocional. Você recordava que sua mãe e seu leite representavam a satisfação da necessidade de segurança, e assim você chorava de novo. Então as suas necessidades eram satisfeitas novamente. E dessa forma, se desenvolveu os seus impulsos do Ego. 

Você às vezes chorava, e humanamente decidiam que ainda não era hora de alimentá-lo, deixando-o chorar durante algum tempo. Isso trouxe para você a consciência de que as necessidades nem sempre eram satisfeitas de imediato e que havia a necessidade de se adaptar. Você escolhia a raiva e chorava com mais força – ou escolhia a aceitação. Sua escolha de reação dependia das características do impulso do ego gravadas em sua consciência.

Nenhuma das formas de impulso do ego deve ser condenada ou julgada. Elas são o resultado natural do Fator Criativo do Ego, que assegura a individualidade. Como expliquei em minha ultima Carta 05, o Ego é o GUARDIÃO DA INDIVIDUALIDADE. Se você não tivesse sido infundido com esse impulso para chorar e lutar pelo que deseja para ser feliz, ou de recusar o que não o agrada ou o entristece, você estaria à beira da não-existência. 

Se não saísse correndo ou pedisse ajuda quando estivesse em perigo – poderia morrer. Se não tivesse chorado – exigindo alimento – ao nascer, poderia ter morrido de fome. Se não tivesse acolhido com prazer o leite ao mamar, se aninhando afetuosamente à sua mãe, talvez nunca tivesse desenvolvido uma carinhosa proximidade com ela.

Sem o IMPULSO do EGO não haveria criação, nem individualidade, nem satisfação das necessidades, nem proteção, nem respostas calorosas e nem amor humano. Sem o IMPULSO do EGO não haveria autodefesa, nem autoproteção, nem sobrevivência. Durante a infância, o Eu do ego é governado pelo que você gosta e pelo que não gosta, pelos desejos, pela recusa do que não quer e pelos hábitos formados na constante repetição dos sentimentos. 

Os maus hábitos se estruturam sob a forma de respostas inaceitáveis do ego às experiências pessoais e ao ambiente e são gravadas no inconsciente – ou subconsciente – onde permanecem ocultas. Elas surgem em padrões repetitivos de comportamento, quando a memória de circunstâncias e modos de comportamento anteriores, inconscientemente, trazem-os à mente. Então, a mente subconsciente e a mente consciente começam a trabalhar juntas para desenvolver a personalidade. 

Grande parte do comportamento se torna comportamento condicionado e é muito difícil de mudar. Quando a pessoa está inconscientemente programada com fortes hábitos egocêntricos de pensamento e comportamento – e encontra dificuldade para viver com os outros em harmonia, - geralmente ela se dirige a um psicólogo para que a ajude a desvendar a complexidade de seus problemas mentais /emocionais.

A dor e o sofrimento que surgem da concordância ignorante com os impulsos do ego persistirão, até que a minha Verdade da Existência seja enfim plenamente compreendida e os princípios geradores da vida tornem-se um guia consistente dos hábitos de pensamento e de respostas às experiências da vida.

As Igrejas descrevem esta dificuldade humana como “tentação de Satanás” e não se trata disso. Este é um processo natural causado por reações incontroladas diante da vida, provocadas pelos Impulsos do Ego, cujo único propósito é o de trazer felicidade e contentamento individual, satisfação da necessidade - ou – intimidade, independência, segurança, paz... tudo direcionado para a sobrevivência do ser.

Isso também não deve ser julgado, nem criticado, uma vez que a pessoa que está possuída pelo impulso do ego não conhece outra maneira de pensar ou de operar dentro da dimensão terrena. Uma criança nada sabe sobre o autocontrole além daquilo que os seus pais e mestres da escola ensinam para ela. Portanto, os erros que comete ao responder perante a vida com os seus altos e baixos só podem ser aceitos com bom ânimo pelos pais e mestres, uma vez que a criança não tem compreensão do que a está impulsionando.

Se ela quer algo – o QUER imediatamente e se pergunta por que não pode tê-lo. Não há nada mais em sua mente do que isso. Ela vê algo do que gosta – e o quer. É cruel dizer a uma criança bruscamente: não, não pode tê-lo. Isso insulta e agride o seu sistema inteiro. Desde a mais tenra infância, o processo de educação da criança deve iniciar-se com lógica e confiança – afirmando seu direito de sentir-se plenamente segura em seu ambiente.

Seu sentido de segurança deve ser desenvolvido pela explicação da maneira correta de expressar os seus desejos. É o AMOR – e não a irritação ou a raiva – deve-se escolher as palavras com equilíbrio e que expliquem à criança por que ela não pode ter sempre o que quer.

A criança escutará a mensagem sempre que for dada com amor. Quando for dada com impaciência, provocará seus impulsos do ego mais profundos e começará a assumir a forma de ressentimento - aberto ou oculto – ou um sentimento de frustração profundamente arraigado, que fere o ego, reduzindo o sentido natural de valor próprio da criança e diminuindo sua alto estima porque toda criança necessita possuir este sentido natural de valor pessoal e não deve nunca por ninguém ser subjugado ou destruído..

É necessário que os pais e os mestres sinalizem à criança, muito claramente, que as outras pessoas do mundo também têm necessidades, seus direitos sobre suas posses, seus desejos de paz e prazer. Ninguém, criança ou adulto, tem o direito de perturbar outra pessoa com a finalidade de obter egoisticamente a sua própria satisfação.

Se uma criança bate em outra e isso a faz chorar, é natural que a criança agredida, pelo impulso de seu ego, queira reagir de volta – ela está programada para defender-se do outro. Isso requer que pais e mestres ensinem as crianças que a vingança em um conflito somente o aumenta, trazendo mais dor para cada criança, e por esta razão, a vingança não tem sentido algum. O melhor caminho é o de se estimular a imediata reconciliação entre as duas crianças, afirmando que ambas são nascidas do mesmo Amor Divino, numa tentativa de amenizar o conflito criado. Deve-se também estimular nas crianças a prática e a importância do riso, assunto de que tratarei numa Carta futura. 

Portanto, o ensino qualificado e sensível é absolutamente necessário para levar a criança a considerar os direitos dos demais como - IGUAIS AOS SEUS PRÓPRIOS DIREITOS. Esta é a verdadeira lei espiritual que deveria predominar no lar e nas escolas. Portanto, qualquer outra lei que julgue as circunstâncias é defeituosa e sem equilíbrio.

Para descrever melhor a realidade da ALMA e do EGO humanos, quero que você junte as mãos com as pontas dos dedos de uma tocando as pontas dos dedos da outra e os punhos juntos, deixando um espaço vazio entre as palmas e os dedos das mãos em forma de concha. As mãos representam a “concha da consciência humana” de uma pessoa – o ego. O espaço entre as mãos representa corretamente a ALMA, nascida da ”Consciência-Pai-Mãe-Vida” no momento da concepção. 

Enquanto para os sentidos humanos isso aparenta ser nada, isto é, na realidade, uma ramificação da Totalidade e Integridade da CONSCIÊMCIOA DIVINA, da qual todas as coisas criadas se originaram. Suas mãos, com o espaço no meio, representam o seu Eu. E suas mãos, direita e esquerda, representam duas potentes forças do impulso magnético do seu ego. Elas representam as forças de ligação – rejeição, mas ao mesmo tempo, elas são a representação das energias físicas que a ciência conhece como magnetismo – Ligação e Repulsão. 

Agora, dobre a sua mão direita fechando-a e visualize que sempre a utiliza para atrair e conseguir o que quer da vida. Ela representa, também, o que a sua consciência humana percebe como a atitude ambiciosa perante a vida. Concentre-se neste exercício e observe que sua mão direita representa a força magnética da natureza, o vinculo, a atração, a gravidade evidente em toda a natureza. É a fonte de todo querer e desejar.

É somente quando se tem que levar em consideração as outras pessoas, outros seres vivos, ou suas posses, ou os seres queridos de outros - que o incontrolado impulso magnético que atrai, agarra e retêm se torna uma doença da personalidade, se não está em equilíbrio com as necessidades de todos o outros serem vivos.

Agora retorne a sua mão direita à posição anterior em concha com a esquerda. Em seguida, abra e force sua mão esquerda para trás e visualize que ela representa o impulso magnético de repelir, empurrar, esbofetear, ou defender-se de qualquer invasão não autorizada de sua propriedade, ou posses, ou qualquer ataque sobre sua pessoa, família ou trabalho.

Esta mão esquerda representa o Impulso magnético da rejeição, cuja intenção espiritual e a de assegurar privacidade e segurança em sua vida. É uma arma legitima quando sua sobrevivência física ou emocional está em jogo – contanto que você se lembre de que cada ação sua é um padrão eletromagnético de atividade atração/repulsão em consciência que repercute, e no final se exterioriza, na forma de um ataque similar sobre si mesmo.

Agora volte sua mão esquerda para junto da direita novamente. Perceba que durante o exercício, o ESPAÇO entre as mãos permaneceu ESPAÇO. Ele não esteve envolvido em nenhuma atividade de suas mãos. E assim, é com a sua ALMA, quando seu EGO está ocupado, segundo após segundo, sempre e para sempre em alerta para realizar as suas necessidades e para defender você de qualquer aborrecimento, a CONSCIÊNCIA DIVINA de sua alma, fica oculta, ainda que esteja sempre em seu interior.

Quando estive na Terra, falava com as pessoas sobre o “Reino dos Céus”. Eu disse que ele estava dentro de cada um. E assim é. É a sua ALMA. É a morada do equilíbrio da Consciência Divina - que deu para você o seu ser como homem ou mulher. Desejo muito poder depositar em sua mente uma visão mais ampla de sua FONTE de SER, para que você possa perceber com um pouco mais de clareza o seu começo - de onde você veio.

No entanto, você somente começará a ter alguma ideia do que tento explicar, depois de ter experimentado por si mesmo tudo o que eu já disse a respeito. Portanto, não deixe que ninguém que tenha lido minhas Cartas discuta com quem quer que seja, ou negue a verdade do que estou ensinando – ou rejeite as minhas palavras – pois eu digo verdadeiramente que vocês não podem conhecer plenamente aquilo que ainda não experimentaram.

Apenas aqueles que me seguirem com aceitação e fé na meditação diária, na purificação da consciência e na oração fervorosa, pedindo e pedindo iluminação, no final obterão vislumbres cada vez mais profundos- e, portanto, experiências – daquilo a que a criação mesma pode dar acesso – a Consciência Divina. 

Por enquanto, reconheço que tenho trazido para você apenas uma narração intelectual da CONSCIÊNCIA UNIVERSAL. Como posso descrever para você o poder latente, a magnificência da reverência, o êxtase, a felicidade radiante, o absoluto estado de satisfação, paz e harmonia de seu Ser? Ainda que você possa contemplar e compreender que desta IMENSIDÃO de CONSCIÊNCIA o Universo inteiro tomou vida e forma , você não poderia perceber mais que um elétron da vasta, incomensurável Alegre Realidade que é a CONSCIÊNCIA UNIVERSAL.

Para você compreender integralmente a natureza da criação, as razões pelas quais o ego funciona como o faz e por que as entidades criadas sentem os impulsos que sentem, deve-se entender que a NATUREZA e a QUALIDADE da CONSCIÊNCIA UNIVERSAL são ALEGRIA RADIANTE – REALIZAÇÃO – FELICIDADE. Isso é o que eu chamei de o “Reino dos Céus dento de você” - Dentro de sua ALMA – Dentro dos Recessos mais Profundos de sua Psique, que é o intermediário entre o esplendor de sua ALMA e a sombra do próprio Ego.

Voltar a esse estado transcendente de glória, beleza, felicidade e harmonia do ser é o anseio mais profundo de sua ALMA! Esse anseio constante, essa recordação inata e inconsciente de equilíbrio e paz, felicidade e harmonia é o que impulsiona o EGO, através da psique, a manipular o ambiente através dos impulsos em seu favor. Seu firme propósito é o de trazer você de volta ao seu estado original de glorioso êxtase, do qual se formou sua alma, seu ser e sua forma física. 

Portanto, o anseio inato de reunir-se a sua Fonte do Ser se experimenta nos parâmetros eletromagnéticos do pensamento e do sentimento com mais, mais e mais daquilo que deu a você uma sensação prazerosa anteriormente. Mais amigos, casas, carros, roupas, etc. Cada vez o “mais” é conquistado, isso provoca uma pequena sensação de satisfação, talvez uma exibição perante os vizinhos para enaltecer a felicidade e logo a novidade passa, a nova posse se forma trivial e uma nova e contínua necessidade de satisfação logo surge. 

E assim, a vida se torna uma perseguição sem fim de satisfações pessoais de diversos tipos, deixando a Alma oculta, mal nutrida, insatisfeita, ainda ansiando por algo mais – mas o que é que o meu eu mais profundo está desejando? Você se pergunta em desespero!..

Quando uma pessoa consegue entender a verdadeira fonte de seu vazio e de seu contínuo anseio interior de ter mais daquilo que o fez sentir-se bem antes – e começa a meditar para fazer contato com AQUELE que lhe deu o SER, um pouco do Equilíbrio Divino se filtra através da consciência humana e o vazio começa a diminuir.

Se, de fato, tal pessoa vislumbra algo ETERNO do verdadeiro objetivo da vida, o desejo de mais posses acabará por morrer de morte natural. E o desejo por mais posses será gradativamente substituído por uma sincera apreciação do que já tem e um sentido de contentamento constante começa a se apossar dela.

Através das experiências e intervenções milagrosas ou das atividades da CONSCIÊNCIA DIVINA em sua vida diária, a consciência humana se eleva enormemente e aprende que suas necessidades diárias são satisfeitas da melhor maneira possível. A partir daí, aumenta consideravelmente a fé e a alegria se intensifica cada vez mais. Por isso tenho dito: não vim agora para ensinar você a pensar positivamente para atrair ao seu redor as coisas que quer e necessita. Vim expressamente para levá-lo de volta ao Reino dos Céus.

Entretanto, não é somente por desejar mais posses, que sua Alma se encontra presa em sua morada secreta. O Ego também utiliza o impulso emocional magnético de repelir – rejeitar para assegurar sua individualidade, privacidade e segurança. Esse impulso assume diversas formas projetadas para dar uma sensação de superioridade, ou elitismo, que o protege de pessoas que você considera indesejáveis, ou que tenham menor posição social que você.

Esse impulso egocêntrico é praticado continuamente e acredita-se que é perfeitamente aceitável até mesmo nas Igrejas. A verdade é que: quando a Alma começa a ganhar um pouco de controle sobre o impulso do Ego, ela repreenderá a personalidade humana por seu egoísmo e exclusividade. Ela exigirá da psique adotar o amor incondicional e a crença na universalidade e na Unicidade de todas as pessoas, não importando quem sejam.

Quem sabe, agora, você possa entender mais facilmente como foi que a criação de sua individualidade, por meio do ego, formou a grande cápsula dos seus impulsos físicos, que produziu e encerrou sua consciência humana – criando tanto sua forma física como sua personalidade humana - uma vez que governa sua mente e emoções, pensamentos e sentimentos, ela impede você de fazer contato com a FONTE de sua VIDA e com sua ALMA.

Portanto, não esqueça que o seu verdadeiro proposito de vida é alcançar o domínio de seu Ego, estendendo seu pensamento e sentimento para – “AQUELE QUE VOCÊ PERCEBE ESTAR POR TRÁS da CRIAÇÃO, pedindo continuamente por iluminação. Este é o primeiro passo que uma pessoa deve dar em direção àquele glorioso momento em que fará contato com o DIVINO e, em seguida, prosseguir, através de uma continua purificação do Ego, até o retorno a esse ”Estado Celestial” onde nasceu sua ALMA e de onde procede a sua individualidade.

A ciência talvez até conteste os parágrafos anteriores, uma vez que ela tem se esforçado bastante para descrever os vários “processos de ligação”, aplicando diversos termos as energias de ”ligação”. A ciência é bem-vinda para nomear as “energias de ligação ou atração” com a terminologia que desejar, porém permanece o fato de que essas energias tomaram forma do grandioso e primordial IMPULSO da MÃE AMOR, cuja função PRIMORDIAL de CONSCIÊNCIA é de dar forma a individualidade. 

Ou seja, o IMPULSO do “Pai Vida Inteligente” – fornece o ímpeto elétrico para a criação. O IMPULSO da Mãe Propósito Amoroso – proporciona a ligação para reter o ímpeto elétrico e colocá-lo sob controle na individualidade. O IMPULSO da Mãe Proposito Amoroso – proporciona também o impulso de “repulsão – rejeição” para assegurar a sobrevivência da individualidade. Este é o processo de criação.

A ciência somente pode se aproximar da criação como espectadora. Ainda que seus embaixadores sejam humanos e experimentem a vida neles mesmos, a mente humana somente pode observar o que foi criado. Não se pode entrar nos processos íntimos da criação, ocultos na matéria e nos campos mais básicos de energia. 

A ciência nunca será capaz de apontar o FATOR MOTIVADOR X, a partir do qual surgem as energias que controlam a criação da forma individual. Porém, o que a ciência tem a dizer sobre a criação tem pouca importância para você como indivíduo. 

O que você precisa saber realmente é - o que vim expressamente explicar-lhe – é como escapar do impulso egoísta possessivo- protetor-dominador que foi implantado em você pelo Ego, para assegurar sua individualidade e sobrevivência e sua aspiração inata para retornar a alegria e felicidade da qual surgiu a VIDA de toda a criação.

Esta é a razão pela qual vim originalmente à terra e porque venho nesse momento – para fazer algo que nenhum cientista jamais poderá fazer por você – ajudar sua alma a emergir dos confins de seu impulso egocêntrico e lançá-la em um novo programa de vida para o seus pensamentos, sentimentos e emoções, que expressará diretamente a vida da consciência Pai-Mãe que foi injetada em você e em toda a humanidade no momento da concepção. 

Em virtude do próprio ego possuir o ímpeto elétrico da Atividade – Criatividade, e os Impulsos magnéticos emocionais de Ligação – Rejeição , o que quer que nasça do impulso do ego através de seus pensamentos, sentimentos e ações estará carregado de vida física eletromagnética que reproduzirá formas de vida idênticas, que serão finalmente materializadas na vida do ego-criador.

Todavia, essas formas criadas não se manifestam apenas como experiências, mas também perturbam o funcionamento dos processos físicos do seu criador e são a origem dos desconfortos físicos e das doenças que atacam os seres. Assim é causa de grande alegria quando a alma emerge da consciência humana encapsulada pelo ego, pois a consciência espiritual ascendente criará as condições harmoniosas e vivificantes que ela guarda na consciência. 

Por outro lado, é causa de tristeza quando a consciência humana está submetida ao controle do ego, produzindo aborrecimentos e constantes atribulações nas experiências diárias da vida. Se você continuar no seu nível atual de pensamento e funcionamento humano, somente experimentará o seu nível atual de experiência humana.

Você será obrigado a trabalhar duramente por uma vida mesquinha, marcada por inúmeros problemas, tais como pobreza, saúde precária e vícios, imobilizado pelo medo desmoralizante e exposto a ataques mal intencionados de todo tipo. Suas condições atuais o sobrecarregarão até que você compreenda como mudá-las. Essa é sua oportunidade de ouro para assumir as rédeas de sua vida como nunca fez antes, tomando o controle de seus pensamentos e emoções – seus impulsos elétricos e magnéticos – que são o molde de suas experiências futuras.

Para iniciar esse tão importante processo evolutivo de controle desses impulsos é necessário se desfazer o mais breve possível da critica, do sarcasmo, do julgar, do denegrir, do gerar inimizades, da intolerância, do ódio, dos ciúmes, da agressão, dos impulsos violentos, dos roubos, das falsidades, das relações desonestas e da difamação.

Não se envergonhe de olhá-las de frente, uma vez que você é um ser humano e nasceu sob a influencia destas características do ego. Assim não tenha medo nem fique excessivamente desencorajado ao enfrentá-las. Dê o primeiro passo com total honestidade, mesmo sabendo que é muito difícil se livrar desse tipo de lixo acumulado pela constante ação desses impulsos em sua mente.

Desejo que você se torne consciente das palavras que utiliza em sua vida diária, a qualidade de vide que elas criam e criarão para você e o impacto que elas criam sobre os outros – elevando os seus ânimos em paz e alegria ou deixando-os deprimidos e esgotados. Além disso, é minha intenção alcançar aqueles de vocês que atualmente estão vinculados a religião Cristã, que estão lutando com o condicionamento religioso passado ou presente e encontram dificuldades para se livrar de suas percepções dos dogmas, a fim de se moverem livremente nas frequências vibratórias mais finas de seu conhecimento espiritual superior.

Talvez você tenha medo de ser condenado simplesmente por ler estas paginas – ainda assim, elas o atraem fortemente e você sente intuitivamente que está lendo sobre a VERDADE da EXISTÊNCIA, que certamente não foi ensinada por seus líderes religiosos. Você está dividido entre sua necessidade imperiosa de conhecer a verdade e o temor de desgostar a “Deus”, seja qual for a forma pela qual “O” percebe na atualidade. 

Eu, o CRISTO, estou muito consciente da angústia que estas Cartas causam a muitas pessoas sinceras e desejo conduzi-las além de sua inquietude, até a perfeita paz mental e alegria. Por esta razão, é absolutamente necessário primeiro analisar as suas crenças atuais e as origens das doutrinas da Igreja, antes de continuar ensinando a você a mais profunda Verdade a respeito da natureza do Universal e da própria natureza do homem.

Para compreender completamente as origens da doutrina Cristã, você deve voltar no tempo até o começo do Judaísmo, e aí encontrar as racionalizações da mente humana, que lutava para definir em palavras o que sentia intuitivamente que era a provável fonte do ser. Começamos com uma rápida descrição das origens da crença em Deus, um nome que tem significado muitas coisas diferentes para a humanidade.

Esta crença começou quando os antigos hebreus caminharam pelos desertos e se perguntaram sobre as origens da criação. Imaginaram que de alguma maneira, a Fonte da Criação deveria seguramente ser um “super-humano, homem-deus”, invisível e muito superior à Terra e à humanidade. Alguns dos profetas antigos estavam misticamente conscientes de que a Fonte da Criação estava difusa e presente – de alguma maneira – em toda a criação e que ela existia também na dimensão eterna, porém este misticismo não estava disponível para a mente humana comum.

Você deve compreender que apesar da “aparente realidade” – em sua mente – de tal “Deus”, originaria de suas leituras da Bíblia, ninguém jamais vislumbrou tal “super-humano homem-deus” em nenhuma forma, exceto quem sabe Moisés, que afirmava tê-lo visto em um arbusto ardente, e que disse que Ele se descreveu como “Eu sou o que sou”.

Tudo o que se sabe deste “deus” super-humano, é derivado das leituras de descrições pitorescas de “Deus” dadas pelos profetas durante sua permanência na Terra. O fato de que os religiosos se voltam apenas aos antigos para citar sua “verdade”, uma vez que eles não podem acreditar que “Deus” é verdadeiramente real, eterno e igualmente capaz de falar com as pessoas nos dia atuais desta era, monstra o quanto são ilusórias as crenças religiosas. 

Seus lideres religiosos têm pânico de qualquer crença que não combine com as antigas que eles pregam. Eles nunca consideram – ou têm medo de considerar – que talvez o conhecimento espiritual dentro da dimensão terrena seja evolutivo. Quero que você veja que um tecido de crenças, uma mescla de racionalizações e cenas foi forjada para criar uma rede de segurança mental/emocional com a qual é possível envolver e prender as mentes e os corações das pessoas.

Tudo o que se ensina às pessoas na fé Cristã é baseada na emoção e se origina no “ouvir dizer”, derivações de antigas narrações de minha vida e morte na Terra. Mesmo assim, acredita-se nelas fanaticamente. Os cristãos aprendem que Deus é Amor – e é consciente de seus pecados, Deus castiga, disciplina, premia os bons e envia castigos e desgraças aos maus.

Eles aprendem também que Eu, o Cristo, na pessoa de Jesus “morri pelos pecados do mundo”. Fui o “cordeiro de Deus sem mancha, sacrificado para pagar o peço dos pecados humanos! Eu fiz o supremo sacrifício de mim mesmo para cumprir esta estranha façanha de “pagar pelos pecados” através dos tempos.

Eu novamente entrei em meu corpo físico, depois da morte pela crucificação e apareci muitas vezes em meu corpo para confortar e ensinar a meus discípulos enlutados. Eu até ingeri comida durante minhas aparições. Após quarenta dias, elevei-me fora da vista de meus discípulos, alçando meu corpo aos céus. O que eu faria com um corpo humano no “céu” – na vida mais além?

Eu disse em minha última ceia que meus discípulos deveriam recordar aquela última refeição com eles, partindo o pão e passando-o um a um e que deveriam beber da mesma taça de vinho e recordar que meu corpo foi crucificado e meu sangue derramado para trazer a eles a verdade do ser. 

Entretanto, este evento se converteu em uma estranha crença, na qual com pompa e cerimonia no altar, meu corpo é transferido às hóstias que os fiéis devem engolir com a devida reverência. Meu corpo! Que bem faria meu “corpo” – espiritualizado ou não – para aqueles que comungam? 

Você percebe como a mente humana pode ser condicionada a aceitar bobagens ilógicas, que perduram há mais de dois mil anos porque têm sido sustentadas por uma grande hierarquia de Cardeais e Papas, vivendo em palácios, imensamente ricos e mantidos com grande pompa terrena, em cerimonias prestigiosas?

A verdadeira historia de minha crucificação e morte e também da utilização do pão e do vinho na santa ceia como lembrança a deixar de mim aos meus discípulos - eu já a descrevi com todos os detalhes na Carta 03 que, inclusive, foi inspirada ao meu canal e escrita por ela - justamente num dia de sexta-feira santa. Portanto, basta lê-la para ficar verdadeiramente informado de tudo o que realmente aconteceu.

E você que está lendo essa carta saiba que tudo o que o meu “Pai” me revelou em minha última noite na Terra, se cumpriu. Como eu falava do “Pai, do “Filho e do “Espirito Santo”, a Igreja decidiu no Concílio de Nicéia que eu me referi a “Três Pessoas em Uma”. Consequentemente, as pessoas rezam ao “Pai” para pedir benefícios, imploram ao “Espirito Santo” para que os instrua espiritualmente e rezam ao “Filho” para salvá-los de seus pecados.

Você pode ver o quanto às crenças são terrestres e humanamente concebidas? Graças ao sentimentalismo e à promessa de uma viagem gratuita ao céu nos calcanhares do Salvador, as crenças tornaram-se uma estrutura religiosa humanamente concebida para consagrar o império da Igreja dentro dos impérios terrenos – Roma, Áustria e Espanha. As crenças foram o pretexto para a tortura sistemática, a morte na fogueira e a execução dos dissidentes. Elas também inspiraram as guerras entre nações.

Porém, a percepção espiritual e a criatividade também surgiram de algumas dessas crenças e contribuíram muito para a existência nesses dois milênios. Essas crenças também motivaram a construção de catedrais e igrejas, monastérios e conventos, dando às pessoas um propósito estável, a habilidade de expressar seus dotes artísticos e fornecendo trabalho para os menos talentosos. 

Elas também permitiram a milhões de consciências acessarem os reinos mais elevados de belos pensamentos e amor. Além disso, foram ainda o ímpeto por trás do misticismo e da iluminação das almas espirituais que chegaram a ver a Realidade que estava oculta por trás das crenças. Enquanto tudo isso se passava, as crenças também criaram as condições para o desenvolvimento de hierarquias de superioridade religiosa com imensa pompa e riqueza. Estes são edifícios criados com os impulsos do ego, concebidos pelo ser humano e, portanto, totalmente falsos de um ponto de vissta espiritual.

É preciso compreender que, ao longo dos séculos, as pessoas sentiam que certas facetas do comportamento humano eram prejudiciais par o bem-estar dos outros. Elas tinham testemunhado assassinatos, roubos de mulheres e de bens alheios, causas de grande dor e sofrimento para a comunidade, tornando a vida difícil, às vezes intolerável. Concluiu-se então que, com certeza, aqueles comportamentos deviam ser contrários à vontade daquele que chamavam “Deus”. 

Assim, deram àqueles comportamentos o nome de “pecado” e os definiram com sendo o “mal”. Finalmente, os profetas concluíram que tal comportamento aberrante devia originar-se de uma força “malévola, oposta a “Deus” e a chamaram de “Satanás”. As pessoas ameaçaram e castigaram umas às outras, na crença de que os “pecados” eram maus e de que seu “Deus” castigaria os homens pelas maldades contra os outros. Até hoje se pratica esse comportamento nas Igrejas. Os líderes religiosos tentam controlar as pessoas pelo medo.

O CONCEITO DE “PECADO” contra Jeová, o Eterno e infinitamente Poderoso Criador, era um hábil e poderoso método de controle das pessoas. As crenças da Igreja são uma trágica farsa de tudo o que eu tentei ensinar às pessoas na Palestina. Moisés foi o primeiro que consagrou a crença no pecado e no castigo, na forma dos dez Mandamentos. 

Moisés disse que “Deus” deu a ele os Dez Mandamentos e que, se os israelitas os desrespeitassem, teriam que sofrer o castigo – em alguns casos, isso significava até a morte por apedrejamento. E ensinou que, se desrespeitassem as Leis, estariam pecando contra seu “Deus”. 

A verdade exata é que Moisés foi ao monte para rezar, pedindo um meio para controlar os Israelitas rebeldes. Em resposta àquela oração, recebeu por inspiração os Dez Mandamentos, dados a ele para ajuda-lo em sua tarefa de dirigir os Israelitas, sem perigo, em sua jornada no deserto, com o menor grau de confusão.

Religiosos aceitam e creem de todo o coração em um “Deus” que, segundo dizem, instruiu Moisés a engajar-se em comportamentos agressivos e massacres, ao conquistar “a terra prometida”. Esta era um aterra bela e produtiva que foi arrancada sem piedade de um povo trabalhador, assassinado aos milhares. Isso foi considerado como a coisa certa a fazer, uma vez que “Deus” tinha prometido para eles uma terra bela na qual se estabeleceriam.


Até hoje, os religiosos creem que, como “Deus” falou com Moisés, deve ter sido “Deus” quem decretou o derramamento de sangue. Em sua Bíblia há muitas descrições semelhantes e horrendas sobre guerra e derramamento de sangue e são consideradas permissíveis – justas e corretas - porque se acreditou que “Deus” ordenou a eles ir para a guerra contra os gentios.

Você pode perceber na historia do Judeus o desenfreado IMPULSO DO EGO, no qual inclusive “Deus” é usado para isentá-los de toda a responsabilidade? No momento de exaltação do próprio poder, tornou-se permissível e justo ignorar os Dez Mandamentos e realizar um extermínio em massa.

Eles acreditavam não estar cometendo nenhum pecado, pois o massacre tinha sido ordenado por “Deus”. Que “Deus? Você pode perceber porque era necessário que eu nascesse na Palestina e vivesse entre os Judeus, em um esforço para ajuda-los a ver que suas crenças e práticas tradicionais eram totalmente contrárias à Natureza da CONSCIÊNCIA DIVINA, que verdadeiramente havia dado a eles o ser? 

Através dos séculos, os homens lutam com o conceito de “pecado”. Muitas pessoas sinceras ficam aflitas com a maneira pela qual ofendem a “Deus” e rezam pedindo seu perdão. Há muito tempo, sacrificavam um sem número de animais no Templo de Jerusalém para apaziguar a “Deus” na esperança de escapar das consequências de seus pecados. 

Desde aquela época inumeráveis livros foram escritos sobre o tema, expressando pesar e horror por ver o estado da alma dos homens, indicando a mudança de comportamento pelo açoitamento com chicote, para torturar a carne e fazê-la pagar pela maldade de pensamento, palavra ou ato. Muitos desse livros foram aplaudidos pelos cristãos em toda a Europa e guardados em arquivos de instituições religiosas.

Esses livros prendem as pessoas à antiga personagem de “Jesus”, pregando a salvação do homem do castigo de seus pecados, por meio de minha morte na cruz. Como já expliquei, estas crenças são fisicamente impossíveis e contrárias aos fatos da criação. Nenhuma “Divindade” superior exige o pagamento pelos “pecados”. Este é um conceito inteiramente humano – e pagão. Qualquer tipo de derramamento de sangue, com o proposito de realizar ritos religiosos, é paganismo. O que a Igreja Cristã tem apresentado aos seus seguidores é uma versão “glorificada” do paganismo. 

Quando as pessoas tornam outras infelizes, de um modo ou de outro, estão criando seu próprio futuro em retorno. Não como retribuição, mas como uma atividade consciente de criação. Portanto, é uma questão de urgência combater fortemente estas crenças no pecado e na salvação por minha morte na cruz – e a substituição – pela compreensão espiritual que está sendo fornecida a você nestas Cartas.

Antes de abandonar o assunto de doutrinas religiosas, quero deixar claro que, através dos tempos, alguns buscadores espirituais na Igreja Cristã purificaram suficientemente suas consciências para adquirirem uma forte consciência do “Poder” que elas chamam “Deus”, e acabaram por reconhecer que a Igreja não ensina a Fonte do Ser. 

Porém, somente uns poucos evoluíram espiritualmente o suficiente, para irem além dos parâmetros das crenças religiosas e sentirem o influxo do “Poder”, uma vez que a grande maioria das pessoas só pode conceber a verdade por meio de uma terminologia terrena. Eu, O CRISTO, tenho que dizer que até este momento, nenhum dos “santos” nem sequer vislumbrou a realidade da criação e a verdade por trás do comportamento humano, com o que eu estou apresentando agora para você. 

Sua consciência cria a sua realidade, sem distinção de quais sejam os feitos de sua vida terrena. Quando as pessoas acreditavam que a terra era plana, tinham medo de aventurarem-se longe demais nos oceanos, pois temiam cair pela borda. Quando Galileu disse que a Terra era redonda, foi considerado um herege, porém sua calculada percepção permitiu que os marinheiros adquirissem uma nova visão do mundo e empreendessem viagens para descobrir o que havia do outro lado do oceano.

Foi necessária uma mudança de suas crenças para tornar isso possível. Você está em uma situação semelhante com respeito a estas Cartas. Aqueles que as desprezam e as ridicularizam são como as pessoas que acreditavam em uma Terra plana e tinham medo de cair pelas bordas, se navegassem demasiado longe de seu ambiente conhecido. Seus horizontes são seriamente limitados por suas falsas crenças.

Assim, os horizontes daqueles que creem que o mundo é solido, também são severamente restritos. Dia após dia, lamentam e se afligem pelas desgraças que desabam sobre o mundo, crendo que não existe nenhuma escapatória. Porém as pessoas que puderem captar a dar as boas vidas à Verdade da consciência que atualmente estou apresentando ao mundo serão como aqueles que perceberam que poderiam viajar sem limites pelos oceanos, em todas as direções, com a condição de que tivessem a vontade de empreender tal viagem. 

Não esqueça do seu estado de consciência - que você deve considerar como o mais importante para a sua verdadeira evolução espiritual e não mais as suas relações sociais, posses ou posição na vida. Cuide de sua consciência e todas as bênçãos, em todos os aspectos de sua virão a você - pode acreditar. Por meio de sua consciência, você se alimenta de amor, harmonia, alegria e beleza interior, até em um beco de um bairro pobre qualquer. Com tal consciência, você será removido das ruas pobres do bairro pobre para um ambiente mais compatível com seu estado interior, pois é assim que se consegue sair de circunstancias desagradáveis. 

Finalmente, lembre-se de que eu disse a você que anseio pelo progresso do viajante espiritual. Enquanto avança pelo caminho que tracei para você, haverá momentos de confirmação de que estou de fato com você em sua jornada. Você o verá – conserve sua fé nisso. Em todo momento eu o sustentarei no amor Divino, pois sou o Amor Divino em ação. Acredite nisso, e encontre descanso em minha Consciência que o envolve.

Jesus Cristo. 



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acessos

PESQUISE AQUI

Receba nossas notícias no e-mail

CONTATO DO BLOG

Telefone/Whats: (84) 9 8177-6707 Email: Contato@ofachodegrossos.com Facebook:  O Facho de Grossos © 2015 -2018 - O Facho de Grossos...

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

COLUNISTAS

COLUNISTAS
EMÍLIO OLIVEIRA
O Facho de Grossos 2014. Tecnologia do Blogger.