domingo, 2 de outubro de 2016
POR: EMÍLIO OLIVEIRA
Hoje é o dia “D” dos próximos quatro anos de todas as nossas vidas. Refiro-me, evidentemente, a todos os cidadãos e cidadãs que residem aqui na nossa amada cidade de Grossos. É claro que nas outras cidades também está ocorrendo o mesmo processo de escolha dos seus futuros representantes. Todavia, como estamos aqui precisamos nos preocupar com o que todos nós, na expressão de nossa maioria, iremos fazer na cabine eleitoral. 

Com enfatizei bem no artigo de domingo passado, o voto não termina apenas com o eleitor saindo da cabine eleitoral depois de cumprir o seu dever de cidadão não. O voto, quando é destinado a um candidato que consegue se eleger para o cargo que está disputando, tem a durabilidade do seu próprio mandato. Ou seja, se for para prefeito, governador, deputado federal, deputado estadual e vereador tem uma validade de quatro anos, porém, se para senador, sua validade dobra para oito anos. 

Então todos nós, como cidadãos de uma comunidade, precisamos pensar e pensar muito, a quem devemos dar o nosso tão sagrado voto. Todavia, como o voto é uma prerrogativa do cidadão, deve-se sempre também respeitar a sua decisão por mais estapafúrdia que seja. 

Infelizmente, ainda há os que votam no candidato por sua juventude, simpatia e beleza; há também os que votam porque o candidato é uma pessoa competente, trabalhadora, respeitosa com todos e, principalmente, com os recursos públicos; Mas há ainda aqueles que sempre negociam o voto como se ele fosse uma mercadoria qualquer. 

Esses últimos não são somente pobres de espirito mais também de tudo, pois ainda não compreenderam a importância histórica e socioeconômica do voto para suas vidas e para suas famílias. Por isso é que, desavisadamente, o transformam em mercadoria de baixo valor agregado, negociando-o juntamente com a sua própria consciência, na ilusão de que vai se dá bem nesse tipo de transação que, além de criminosa, é também antipatriótica. 

Ainda acredito que o nosso povo inteligente como é saberá na expressão de sua maioria escolher o melhor para dirigir os nossos destinos pelos próximos quatro anos. E já que as oposições por motivos outros não foram capazes de se aglutinarem em torno de uma proposta comum em benefício maior de nossa cidade, a responsabilidade agora por tudo o que vier a acontecer é toda nossa. 

Durante a minha militância política no front, perdi três eleições consecutivas: em 1992, 1996 e em 2000. Também ganhei três eleições consecutivas: em 2004, 2000 e em 2012. Para falar a verdade, não sei nem se realmente perdi ou se ganhei porque tudo isso é muito relativo. Quando você vota num candidato e ele ganha e depois lhe decepciona, será que você ganhou mesmo? Se você vota num candidato e ele perde, pelo fato de que você não vai se decepcionar com ele, será que você realmente perdeu? 

O que sei é que durante toda essa militância eu vim aos poucos compreendendo que a política que se vem fazendo por aqui, infelizmente, não visa o bem maior da cidade e do povo não. E foi por isso mesmo que graças a Deus, consegui cair fora dela. Muita gente achava que eu não conseguiria aguentar até o fim sem subir em palanques e eu consegui. 

Mas, isso não significa que eu tenha deixado de ser político não. Político com “P” maiúsculo eu vou ser enquanto estiver vivo. Eu deixei foi a politicalha antes de - pelas circunstâncias -, me tornar um politiqueiro também. E eu afirmo com total conhecimento de causa que não existe coisa pior nesse nosso mundo que um politiqueiro. 

Para ganhar votos ele mente, engana, rouba, falsifica, trai, compra fiado e não paga, promete o que não pode fazer, se esconde, dá cheques sem fundo, e o que é pior, perde totalmente a sensibilidade e a gratidão que é um sentimento puramente divino. 

Infelizmente é assim amigos, o que é uma pena. E digo mais, se o politiqueiro não for assim ele não terá sucesso na politicalha que bestialmente ainda se prática por aqui. E de quem é a culpa por todas essas graves distorções de nossa ainda tão atrasada e pobre sociedade? Você pode até pensar que é somente dos politiqueiros e eu afirmo que não. A culpa é também do eleitor que nessa época procura os politiqueiros de todas as nuances partidárias em busca de conseguir alguma vantagem pessoal pelo seu voto e finalmente de todos nós sociedade em geral que aceitamos que isso continue como se fosse uma coisa normal, quando, na verdade, é uma verdadeira aberração, além de um crime eleitoral. 

Vez por outra, a boca pequena, se ouve dizer que eleitores irresponsáveis oferecem desavergonhadamente o voto como se ele fosse uma mercadoria qualquer. Como num ambiente desqualificado desse um verdadeiro político pode ter sucesso e oportunidade de mudar esse dantesco quadro para depois tentar construir um novo paradigma para sua cidade e seu povo? 

Nesse profundo charco de promiscuidade eleitoral que eu me atrevo a chamar de submundo, bons não são os verdadeiramente bons não, bons são os piores, os que a qualquer custo conseguem dinheiro fácil para negociar os votos e as consciências dos eleitores alienados que, infelizmente, já são uma parte bastante significativa dos votantes. 

Ou o povo brasileiro compreende esse distorcido fato gravíssimo de nossa tão pobre e imunda realidade política e tenta de forma patriótica mudar esse pitoresco quadro, ou o país vai continuar descendo e descendo a ladeira. Aliás, já se encontra quase que no fundo do poço. Basta ter-se dinheiro, disposição e desprendimento para distribui-lo ao bel prazer do povo - que qualquer um que tenha a ficha ainda limpa pode negociar e comprar um mandato em qualquer cidade desse país. Que vergonha, não? 

Quem achar que estou exagerando na dose e se dispuser a comprovar o que estou afirmando, basta somente se aventurar a ser candidato a qualquer cargo eletivo. No outro dia, infelizmente, aparecerão os necessitados de sempre por portas, janelas, tijolos, telhas, cimento, óculos cirurgias, peças de motos, etc e tal. E, infelizmente, é assim aqui, alhures e algures que a maioria dos nossos eleitores se motiva a votar. 

Capacidade, honestidade e compromisso do candidato não valem nada; vontade política e coragem para fazer transformações que realmente venham a beneficiar toda a comunidade, idem. Quase ninguém mais quer saber quem trabalha e quem não trabalha não. Querem saber somente se o candidato tem como eles mesmos dizem o cacau para resolver os problemas. 

A própria justiça eleitoral brasileira deve desconfiar dessa realidade, porém, não pode fazer nada, visto que precisa ser provocada através de processo eleitoral formal acompanhado de provas cabais e contundentes dos fatos denunciados para poder agir. E quando isso realmente ocorre ela tem agido com o rigor da lei, colocando muitos politiqueiros para fora de seus mandatos conseguidos de forma fraudulenta. 

O problema é que não depende apenas da justiça eleitoral por mais bem intencionado que ela seja, e ela realmente tem sido. Esse, porém, é um problema que precisa ser reconhecido e enfrentado por toda a sociedade brasileira através de um processo de conscientização politica e da posterior feitura de leis mais duras que não somente punam o corruptor mais também o corrompido que é quem vai atrás dos politiqueiros em busca de vantagens pessoais. 

O que sei amigos é que enquanto perdurar essa realidade não vamos nunca encontrar um saída que possa nos tirar da situação em que se encontram todas as cidades desse nosso tão amado país. Por isso é que devemos aproveitar esse dia tão importante de nossas vidas para fazermos uma reflexão a respeito do que devemos fazer quando entrarmos na cabine eleitoral. 

E finalmente, após essa sadia reflexão, devemos escolher somente quem apresenta mais e melhores condições para fazer um trabalho honesto e profícuo voltado exclusivamente para os interessem maiores de nossa cidade e de seu povo sofrido. 

Votemos pois com entusiasmo e patriotismo defendendo não somente os nossos interesses mesquinhos e pessoais mais também de toda a nossa coletividade. Votemos pensando na nossa cidade, nos nossos filhos, nos nossos irmãos, nos nossos pais e nos nossos avós. 

Se na expressão de nossa maioria assim fizermos hoje, tenho certeza de que a nossa cidade se encaminhará rumo a um futuro de paz, progresso e prosperidade para todos. Que Deus enfim, na sua bem aventurança possa nos iluminar nessa sadia busca de tão sagrado objetivo. Tenho dito!.... 

Emílio. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

Acessos

FAN PAGE

COLUNISTAS

COLUNISTAS
EMÍLIO OLIVEIRA

PESQUISE AQUI

O Facho de Grossos 2014. Tecnologia do Blogger.