sexta-feira, 16 de setembro de 2016
As cidades de Areia Branca e Upanema estão com 100% das ligações de água feitas pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) medidas por por hidrômetros. Na próxima semana, os moradores de Baraúna vão receber a visita de empresa terceirizada pela Caern para a instalação dos medidores. Em dezembro, a cidade que irá receber a hidrometração é Tibau. O trabalho de instalação de equipamentos garante resultado imediato: o de melhoria do abastecimento. Isto porque o desperdício diminui e a água distribuída é suficiente para atender a todos.

As cidades de Areia Branca e Upanema chegaram ao que se chama a 100% de hidrometração, ou seja, toda água que chega a casa dos consumidores é registrada. Já a cidade de Grossos chegou a 99%. Após a instalação do hidrômetro as pessoas se preocupam em colocar bóia nas caixas de água e passam a observar com mais atenção vazamentos internos, pois o relógio mede o real consumo do imóvel. 

Nesta época de seca, a instalação de hidrômetros tem ainda mais importância no despertar da consciência do consumo. De acordo com o chefe da Unidade de Receita Mossoró Norte, José Dias, após a instalação dos hidrômetros o consumo reduz porque as pessoas observam melhor seus gastos diários. O impacto é imediato. Quando se atinge níveis altos de hidrometração, a necessidade de bombear água continuamente deixa de existir. Em Areia Branca, por exemplo, o poço precisava trabalhar 24 horas para colocar água em todas as residências da cidade. Com a instalação de hidrômetros, o bombeamento foi reduzido em quatro horas e mesmo assim todos têm água de forma ininterrupta.

“Quando Areia Branca tinha 50% de hidrômetros, era preciso manter o poço funcionando 24 horas e ainda tinha que fazer manobra (colocar água para uma parte da cidade e depois para outra parte)”, ressalta José Dias. Areia Branca possui 7 mil ligações de água da Caern em funcionamento e Upanema, 2.664 ligações ativas. Os dados confirmados com a hidrometração, de acordo com José Dias, demonstram que o problema nestas cidades não era falta de água para abastecimento, mas desperdício. “A questão não é de abastecimento, não é que falte água para a cidade. Mas o desperdício, sim, dificulta o abastecimento igualitário”, reforça.

Na próxima semana, Baraúna terá hidrômetros instalados. O índice naquela cidade é considerado muito bom, que é de 93%. Mesmo assim, a Companhia quer atingir os 100%, e por este motivo irá trabalhar na cidade nos próximos meses. Há cinco anos, lembra José Dias, Baraúna tinha apenas 35% de hidrometração e era preciso fazer rodízio de abastecimento. Hoje esta realidade mudou.

Em Tibau, o trabalho será feito no mês de dezembro, para aproveitar a permanência das pessoas nas residências. Em cidades praianas, como Tibau, o hidrômetro oferece um componente a mais. As pessoas passam a redobrar cuidados ao sair das casas após o veraneio, tendo em vista que um vazamento em caixa de água, por exemplo, dará estouro em sua conta. (ASCOM CAERN)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM GROSSOS

Acessos

FAN PAGE

COLUNISTAS

COLUNISTAS
EMÍLIO OLIVEIRA

PESQUISE AQUI

O Facho de Grossos 2014. Tecnologia do Blogger.